SANTO ANDRÉ

Professores da Fundação Santo André iniciam greve por tempo indeterminado

domingo 23 de dezembro de 2018| Edição do dia

Na última terça, 18, os professores da FAFIL (Faculdade de Filosofia Ciencias e Letras), FAENG (Faculdade de Engenharia) e FAECO (Faculdade de Economia) organizaram uma assembleia e tiraram greve por tempo indeterminado por conta de diversas demissões, sindicâncias e salários atrasados.

Os professores e funcionários já estão a mais de um ano sem receber o salário integral, sem ainda ter recebido o 13° de 2017 e nem previsão para 2018 além de direitos como o fundo de garantia foram pagos neste período.

Mesmo com essa situação precária, todos continuam trabalhando e agora no mês de dezembro, já com o fim do ano letivo e fechamento das notas em curso, veio a ameaça de demissão de 61 professores e 14 funcionários.

Além das demissões existem 75 sindicâncias em curso onde os “acusados” não sabem qual o motivo da sindicância.

Além das demissões arbitrárias a reitoria já soltou um edital de contratação de novos professores com salários bem reduzidos, ou seja as sindicâncias estão a serviço de demitir os professores, para contratar novos com salários baixos e por essa via tentar “salvar” a situação econômica da instituição que já beira a falência a anos, fruto do descaso econômico e politico das reitorias e prefeituras.

Foi votada a greve por tempo indeterminado até que as seguintes pautas sejam atendidas:

- Revogação das sindicâncias e demissões
- Revogação do concurso
- Pagamento dos salários e 13° com escalonamento proporcional aos salários

Todo apoio aos professores e funcionários da FSA em luta!




Tópicos relacionados

#FSA   /    Professores   /    ABC paulista

Comentários

Comentar