Educação

GREVE UNICAMP

Professora da Unicamp repudia agressão contra estudantes em greve

Em nota no site da Associação de Professores, a professora Beatriz Regina Alvares da Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp se posiciona frente ao caso de agressão do Professor Ernesto Kemp contra estudantes em greve.

segunda-feira 18 de julho de 2016| Edição do dia

No começo da semana passada estudantes foram agredidos por um professor da Unicamp que queria furar a greve, obrigando os alunos a realizarem um exame final que nem havia tido seu conteúdo dado em aula. Depois do acontecido que ganhou expressão na grande mídia, os estudantes envolvidos receberam dezenas de ofensas e ameaças machistas e LGBTfóbicas via redes sociais e neste sábado, outros estudantes receberam cartas de ameaças em suas casas.


Cartas de ameaça recebidas por estudantes grevistas na Moradia Estudantil

Segundo a estudante Tatiane Lopes, que aparece no vídeo sendo agredida pelo professor "ações como essa do professor Ernesto Kemp são expressão de um setor minoritário que desrespeita a luta e a autonomia dos estudantes e quer, ao contrario de nós, privatizar e tornar a Universidade ainda mais restrita. Nós queremos cotas para os jovens negros e das escolas públicas poderem estudar na Unicamp, não queremos cortes para não precarizar ainda mais o Hospital que atende a população".

Sobre a manifestação de apoio da professora, Tatiane declarou que "sabemos que temos muitos professores ao nosso lado em defesa da educação pública e precisamos de todo seu apoio para repudiar ações inaceitáveis como a do professor Kemp. Sabemos que a reitoria que se nega até agora a garantir que não haja perseguição aos estudantes que lutam é responsável por esse clima na Universidade. Agradeço pessoalmente a professora Beatriz pela preocupação e todo o movimento agradece pela coragem de se posicionar!"

Leia a reprodução da carta da professora Beatriz abaixo ou no site da Adunicamp:

Prezados Colegas Professores da UNICAMP

O clima de confronto que vem ocorrendo na UNICAMP é realmente muito desagradável e pouco civilizado.

Porém , a crítica do texto divulgado no último dia 14 de julho (ver aqui), também precisa ser estendida aos professores.

Assisti, estarrecida, ao vídeo onde um professor da UNICAMP reagiu aos alunos que tentavam impedir que o mesmo aplicasse uma prova, segurando os braços de uma das alunas e empurrando-a de forma muito agressiva. Nesta situação, além de demonstrar total incapacidade para dialogar, este professor reforçou a cultura da violência que atinge cotidianamente as mulheres no Brasil e que deve ser repudiada, especialmente no ambiente de ensino.

Se os professores não dão o exemplo de civilidade, como esperar dos alunos que assim o façam?

Cordialmente,
Profa. Beatriz Regina Alvares
FCM/UNICAMP




Tópicos relacionados

Greve das estaduais paulistas   /    Unicamp   /    Educação   /    Campinas   /    Juventude

Comentários

Comentar