Sociedade

DESESPERO

Professora aposentada tenta atear fogo no próprio corpo por atraso do 13º

Na última terça (20) uma professora aposentada tentou atear fogo ao próprio corpo dentro de uma agência do Banrisul em Pelotas, no Rio Grande do Sul. Desesperada com mais um calote do governo Sartori, a mulher de 70 anos disse em voz alta que jamais havia ficado devendo e responsabilizou os parcelamentos de salário por sua situação.

quarta-feira 21 de dezembro de 2016| Edição do dia

Foto: Joana Berwanger/Sul21

Há alguns meses escrevi aqui um artigo que colocava os professores entre a luta e a fome. Foi na ocasião do nono parcelamento de salário. Agora diante do não pagamento do 13° salário muitos professores ultrapassam o limite do desespero.

A professora aposentada que tentou atear fogo no próprio corpo é uma brutal expressão disto. Segundo a imprensa local ela entrou com uma garrafa de água na agência do Banrisul, e começou a derramar pelo corpo. Usuários da agência sentiram cheiro de álcool, e ela puxou um isqueiro. A tempo conseguiram tirar o isqueiro dela e chamar uma ambulância.

Após o episódio a agência continuou operando normalmente como se nada tivesse ocorrido. Não surpreende se continuasse mesmo diante de uma tragédia, afinal, o capital está em primeiro lugar.

Tudo isso ocorre na semana em que os professores, junto a outras categorias do serviço público, protestam diariamente na Praça da Matriz contra o pacotão de maldades do governo. Diariamente também a Brigada Militar cumpre sua função de braço armado de Sartori, e garante os ataques às custas do sangue dos trabalhadores que protestam.

Essa professora aposentada é um terrível exemplo de como a política de calamidade financeira dirigida aos trabalhadores e população mais pobre, adotada por Sartori, causa tragédias. Índices de suicídios, homicídios, depressão, acidentes de trânsito, violência doméstica, enfarto, entre outras ocorrências, aumentaram nos últimos tempos no estado. Com o IPE sendo cada vez mais privatizado, os professores nestas situações não têm nem dinheiro para pagar consultas médicas e se tratar.

Muitos relatos de colegas no negativo, pedindo empréstimos consignados para pagar suas contas, muitos até sem alternativas de suprir suas contas e necessidades básicas de alimentação! O serviço público estadual está desesperado!

Ao mesmo tempo, a RBS veicula propaganda do governo que prega a "modernização" do estado, dando a entender que esses ajustes, extinções de fundações, congelamento e parcelamento de salários, bem como o extermínio do plano de carreira dos servidores gaúchos, são necessários para a tal "modernização". É preciso antes de mais nada entender o conceito de "modernização" que este governo prega. É o neoliberalismo! O totalitarismo mercantil! O capitalismo dos monopólios! Modelo onde os ricos criam mecanismos legais para explorar cada vez com mais eficiência os pobres ficando cada vez mais ricos.

O governo golpista avança contra os funcionários públicos, tendo legalizado até o corre de ponto de grevistas por meio do STF. Uma chantagem que o governo sempre utilizou com os trabalhadores que lutam nas greves, agora pode se tornar regra. Encaminha também Reforma da Previdência, que exigirá que professores comecem a trabalhar com 16 anos para se aposentar aos 65, a Reforma Trabalhista e ajustes fiscais.

Os próximos vinte anos serão com teto para educação e saúde, escolas serão privatizadas para produzir mão de obra barata para a indústria, sem senso crítico. Esse é o tipo de "modernização" que o governo quer, aumentando ainda mais a evasão escolar e a violência nas ruas. Penso que de violência já estamos fartos não? Pois é, mas quando não se investe em educação se tem como resultado o aumento da violência.

Esta semana Sartori reprime violentamente professores e servidores das fundações extintas, para, em um ato antidemocrático, aprovar um pacote de leis que protege o capital e não soluciona todos os problemas da crise, aliás, só disfarça.

"Mas de onde o governo vai tirar dinheiro?" De onde ele mais envia o nosso dinheiro! Para banqueiros e empresários credores da dívida pública! QUE DEIXE DE PAGAR ESSA DÍVIDA E HONRE COM NOSSOS SALÁRIOS! Que evite mais tragédias como o caso desta colega de Pelotas!

Toda solidariedade para esta professora aposentada e para todas as professoras e funcionárias de escola que sofrem com sem seus salários. É hora de unir forças!




Tópicos relacionados

Sartori   /    Porto Alegre   /    Caxias do Sul   /    crise econômica   /    Crise gaúcha   /    Sociedade

Comentários

Comentar