Sociedade

DECLARAÇÃO

Professora Maíra Machado fala sobre dia 19 e intervenção Federal no Rio

sábado 17 de fevereiro| Edição do dia

Falta apenas 2 dias para o dia Nacional de lutas chamado pelas centrais sindicais. O país está conturbado desde o começo do ano quando 3 desembargadores sequestraram o direito do povo decidir em quem votar, seguido pela corrida de Temer e Maia para aprovar sua reforma da previdência. E agora Temer aprovou um novo decreto, em comum acordo com governador do Rio de Janeiro, que instala superpoderes para o general Braga Netto aumentar a repressão neste estado que foi palco do grito da revolta do povo no Carnaval, que contagiou todo o país. Esse decreto é também uma cortina de fumaça para aprovar a reforma da previdência, e garantir a agenda do golpe, que precisa ser aplicada antes das eleições para não comprometer os candidatos que buscam enganar os trabalhadores .

Porém até o próprio General já desmarcou o discurso de "insegurança", dizendo que é "muita mídia" e que o Rio de Janeiro não está tão caótico assim. O que sabemos é o “combate a violência” é mero discurso, o papel que cumpriu as UPPs, que tinham menos poderes que terão as forças armadas agora, produziu milhares de Amarildos e Marias Eduardas vítimas desse estado repressor que tem como único objetivo calar os trabalhadores e a juventude.

Temer, Maia e Pezão matam o presente e sequestra o nosso futuro. Nós precisamos fortalecer a nossa luta contra os ataques! A CUT aqui através do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC organizou uma Assembleia Popular para votar greve em todas as categorias que dirige. Ontem anunciaram que estão contra a intervenção federal no Rio de Janeiro e que incluirão esta pauta na luta do dia 19! No tribuna metalúrgica dizem que "Segunda, dia 19, ninguém deve ir para as fábricas"! Sem dúvidas, é fundamental que paralisemos todos os ramos de produção do pais. Imagina se esse chamado fosse também aceito pela Força Sindical e as outras centrais, e os operários da Firestone, do telemarketing, dos comércios, transportes... se tudo parasse igual dia 28 de Abril do ano passado?!

Vamos unir nossas forças no grande ato no Masp neste dia 19! Mas para que os metalúrgicos possam realmente pesar sua força social no país, é preciso que que hajam assembleias realmente democráticas onde os trabalhadores possam falar e definir um verdadeiro plano de guerra para retirar o Exercito do Rio de Janeiro, derrotar a reforma da previdência, anular todas as medidas anti-populares inclusive dos governos petistas, e avançar para impor uma Assembleia Constituinte Livre e Soberana para que nós trabalhadores tiremos das mãos destes políticos corruptos e privilegiados o direito de decidir sobre o nosso futuro, decidamos nós como garantir um transporte, saúde, moradia e educação de qualidade, quantas horas devemos trabalhar por dia, parar com o pagamento da divida pública e utilizar este dinheiro na construção de creches, lavanderias e restaurantes públicos para acabar com o trabalho doméstico.

Não permitiremos que rasguem a constituição de 88 e ditem as regras à serviço do lucro dos nossos patrões, enquanto querem que vivamos no inferno trabalhando até morrer, sob a repressão do Exercito e sem poder decidir ao menos em quem votar. Por isso chamamos você trabalhador a exigir do seu sindicato assembleias de base para debater como lutar! Vem com o Esquerda Diário construir um fortíssimo bloco para seguir essa campanha de exigência as centrais sindicais, fortalecendo uma voz anticapitalista no ABC em 2018.




Tópicos relacionados

Reforma da Previdência   /    Sociedade   /    Política

Comentários

Comentar