Sociedade

EM DEFESA DA LIBERDADE DE IMPRENSA

Processo de um sindicato policial contra Esquerda Diário Espanhol repercute na imprensa

quarta-feira 26 de outubro| Edição do dia

Diários e portais alternativos como Kaosenlared, La Haine, Insurgente, Arainfo ou Tercera Información, fizeram ecoar a notícia, publicando notas de imprensa que refletiam o fato.

Alguns deles, como Colectivo Burbuja e Canarias Semanal publicaram também artigos em solidariedade ao nosso diário e em defesa do trabalho informativo dos meios que não nos subordinamos aos poderes opressores.

O Jornalista Juan Carlos Barba do Coletivo Burbuja, expõe em um artigo, a propósito do processo representado contra o Esquerda Diário, que o poder sempre tratou de calar os abusos do Estado e que demorou séculos para que os “profissionais da informação” tivessem “certos níveis de proteção”.

“Esta informação contém uma crítica que faz referência à violação dos direitos fundamentais e do abuso de força já que geralmente se dirigem seletivamente àqueles grupos mais débeis, os que tem opiniões minoritárias e lutam para transformar e melhorar nossa sociedade” e “por isso mesmo as tentações do poder são sempre enormes para calar as informações dirigidas a denunciar seus abusos. Isto foi o que ocorreu com os companheiros e companheiras do Esquerda diário”, afirma Barba em sua nota.E explica que o fato de uma denúncia contra um abuso policial cabe o julgamento da “conta do lamentável nível de degradação que tem nossa já por si limitada democracia”.

O diário digital Canárias Semanal, por sua vez, defende em suas páginas a importância de que “os periódicos digitais e as redes sociais em particular, e a internet de conjunto, está se convertendo em uma ameaça para os poderes constituídos” e que “daí a grande preocupação do poder pelos efeitos “erosivos” tanto da imprensa digital como das redes sociais. É que para dominar uma sociedade não basta mantê-la sob o controle do judiciário, forças policiais, instituições legislativas e até do próprio exército. Mais importante que isso tudo é o poder da informação, porque através desta se pode moldar as opiniões e controlar a orientação ideológica das consciências”.

No mesmo artigo, expressando sua solidariedade com o Esquerda Diário, o portal digital observa que “a temporada de caça está aberta, mas, contra a imprensa digital e as redes sociais. Parece claro que pra manter um fluxo informativo sem censuras na internet, mais vale nos mantermos alerta e expressar nossa solidariedade com aqueles aos quais se pretende silenciar”.

Também nas redes sociais recebemos manifestações de solidariedade de jornalistas, ativistas, militantes e coletivos sociais.

Nós do Esquerda Diário nos orgulhamos em receber esta demonstração de solidariedade de mídias e colegas jornalistas que defendem dia a dia, valentemente, o direito de informar livremente.

O processo contra nosso diário e contra Jorge Remancha, jovem jornalista e secretário geral do Sindicato de Estudantes de Esquerda de Zaragoza é, desde toda ótica um feito escandaloso.

Que a organização sindical dos membros de uma polícia local ( e em representação desta)exponha que se censure e se “agiu em conformidade” contra os diários que pretendem denunciar os casos de abuso policial, é um feito grave que temos a responsabilidade de denunciar. Porém não só pelo fato de incitar a negar a liberdade para quem informar os casos documentados, senão da própria liberdade de expressar e opinar pelas ações repressivas do Estado.

As conseqüências desta lógica são gravíssimas para as liberdades democráticas em geral e o trabalho dos meios de informação em particular, pois, se o Estado, através de suas instituições judiciais, impede tal liberdade de opinião e informação sobre os abusos dos corpos de segurança deste mesmo Estado, não se diferenciaria muito de qualquer regime ditatorial.




Tópicos relacionados

Imprensa Militante   /    Liberdade de expressão   /    Sociedade   /    Internacional

Comentários

Comentar