Mundo Operário

PARAÍBA

Problemas no Concurso da Prefeitura Municipal de Coremas na Paraíba

No último dia 28 de agosto de 2016, foi realizado o concurso público para provimento de cargos do quadro permanente de pessoal da Prefeitura Municipal de Coremas, localizada no Estado da Paraíba, edital de número 001/2016, que teve como organizadora a Comissão Especial de Concurso Público da Prefeitura de Coremas e como responsável pela produção da prova a Consultoria Técnica e Planejamento Ltda (Contemax).

segunda-feira 5 de setembro| Edição do dia

O primeiro problema identificado no processo relativo ao concurso foi o não envio do cartão de inscrição aos participantes a ser emitido antes da prova. Cabendo a estes a busca de informações sobre a referida pendência.

O segundo e principal problema identificado durante o processo refere-se ao conteúdo das provas que não correspondiam aos cargos. As provas destinadas aos candidatos as vagas de Professor de Inglês na verdade estavam destinadas aos candidatos as vagas de Professor de Educação Física. Problema esse percebido apenas no momento da aplicação das provas pelos próprios candidatos.

No dia 29 de agosto, portanto, um dia após o concurso realizado, a empresa Contemax, depois do ocorrido, lançou um edital de convocação para reaplicação da prova objetiva do referido concurso público para Professor de Inglês a ser realizado no dia 11 de setembro de 2011 na Escola Deputado Janduhy Carneiro, localizada na cidade de Cajazeirinhas-PB, município diferente do concurso almejado pelos candidatos.

Desse modo, apenas a opção de nova realização da prova foi disponibilizada pela organização do concurso, não cabendo outras opções aos candidatos tais como o ressarcimento da inscrição, e não considerando outros custeios adjacentes aos candidatos para realização da prova como: gastos com deslocamento, alimentação e hospedagem para realização da mesma.

Não se colocou a suspensão ou anulação do concurso para a realização do mesmo em um novo período, mostrando uma postura pouco afeita a discussão sobre os interesses dos candidatos que foram os maiores prejudicados.

O problema de organização nas realizações de provas de concursos tem sido recorrente no país. A postura discricionária das comissões organizadoras de concursos públicos demonstra não compreender a realidade dos professores e profissionais de educação, consequentemente inferindo sobre a função as quais os candidatos pleiteiam e para o qual surgiu o referido certame que é o atendimento às necessidades coletivas da sociedade, no caso aqui, a educação pública de Coremas.

O que se reivindica é uma postura democrática dos responsáveis pela organização dos concursos públicos, muitas vezes intransigentes ao não considerarem as possibilidades e limitações dos candidatos trabalhadores da educação em poderem participar destas seleções. Estes muitas vezes alocam recursos financeiros com bastante dificuldade para poderem pleitear o desejo de adquirirem emprego, estabilidade e o exercício de sua profissão ao qual se dedicaram.

Lembramos que o Prefeito de Coremas Antônio Carlos Cavalcanti Lopes, candidato à reeleição pelo golpista PSDB, foi condenado pelo TJ-PB a seis anos de prisão e continua no cargo por seu advogado haver entrado com embargos infringentes para o TJ rever condenação. A condenação foi por apropriação de recursos públicos e prevê inelegibilidade por três anos, perda do mandato e inabilitação, pelo prazo de cinco anos, para exercício de cargo ou função pública, coisa que não acontece na realidade. Para completar o quadro o PT vai aliado aos golpistas PTB e PROS nas eleições para prefeito na cidade.

Não são novidade este tipo de problemas. Desde o Esquerda Diário, assim como denunciamos e nos solidarizamos com os concursados não aprovados no Rio Grande do Norte, hoje nos solidarizamos com os concursantes de Coremas (PB) e exigimos da Municipalidade que atenda suas reivindicações de forma urgente.




Tópicos relacionados

Mundo Operário

Comentários

Comentar