Política

ELEIÇÕES 2018

Primeiro debate para governador de SP hoje, três golpistas lideram pesquisas

Hoje acontece o primeiro debate para governador no Estado de São Paulo. As pesquisas indicam uma disputa entre o privatizador e golpista Doria com o homem dos patos da Fiesp, Skaf do partido de Temer. Em terceiro lugar aparece o vice, e braço direito de Alckmin.

quinta-feira 16 de agosto| Edição do dia

Hoje ocorre o primeiro debate para o Palácio dos Bandeirantes. Será as 22hs na Band. Nele, seguindo as regras antidemocráticas da lei eleitoral de Eduardo Cunha, somente os candidatos de partidos com mais de 5 deputados participaram, excluindo, por exemplo o candidato do PSTU.

Esse debate se dá em meio ao reflexo de insatisfação geral com a política e se soma ao predomínio do debate sobre a eleição presidencial, uma eleição sob tutela do judiciário buscando excluir o líder das pesquisas dominam os debates.

O debate de hoje contará com os seguintes candidatos: Skaf (MDB), Doria (PSDB), Márcio França (PSB), Marinho (PT) Lisete Arelaro (PSOL), Marcelo Cândido (PDT) e Rodrigo Tavares (PRTB).

Variações nas pesquisas mas em todas liderança dos patos da FIESP e de Doria

Os altos níveis de abstenção, indefinição e voto nulo observados nas eleições presidenciais são ainda maiores nas pesquisas para governador. O IBOPE de 29/6 registra 48% de indecisos ou nulos, a MDA de 8/8 registra 50,9% e a Big Data de 14/8 39%. Uma alta variação entre as três pesquisas que apresentam o mesmo método de pesquisa presencial.

A pesquisa da Big Data ao mesmo tempo que tem um nível de indecisão muito menor apresenta um salto nas intenções de voto dos primeiros colocados em relação às outras, porém o cenário que destaca os golpistas Doria e Skaf são coincidentes em todas as três pesquisas.

Apesar dessa grande variação no voto nulo ou indeciso há extrema coincidência no cenário de segundo turno - se as eleições fossem hoje, o que pode mudar - entre Doria e Skaf. Doria pontua 19% no Ibope, 16,4% na MDA e 23% na Big Data. Já Skaf faz 17% na Ibope, 16,2% na MDA e 25% na Big Data.

Bem atrás dos dois primeiros localiza-se o vice de Alckmin, Márcio França, membro do PSB partido que foi um dos mais unânimes em sua votação pró-impeachment de Dilma e agora busca adotar um novo discurso "progressista". O braço direita de Alckmin pontuou 5% tanto no Ibope como na MDA, 4% na Big Data. Nesta última aparece atrás de Luiz Marinho do PT, que alcança 6% nesta pesquisa.

São Paulo governada pelos tucanos e outros golpistas há décadas

São Paulo está nas mãos dos tucanos há muitos anos. Nas mãos deles temos privatizações no metrô, falta d’água e precarização da educação e da saúde.

Doria é mais um tucano que quer continuar governando São Paulo. Promete reeeditar programas que adotou na prefeitura de São Paulo, então deve-se esperar ataques as aposentadorias dos servidores estaduais, cortes na merenda e privatizações. "Contra" Doria concorre Márcio França, que era o vice do Alckmin.

Skaf da FIESP é outro candidato dos golpistas. Ele é do partido do Temer, aliado de Alckmin e dos tucanos. Todos os três candidatos que lideram as pesquisas defenderam a reforma trabalhista, e da previdência e o golpe institucional.

Todos seus partidos estão envolvidos em mil esquemas de corrupção que a justiça esconde. Uma justiça que não está nem aí com combater a corrupção, principalmente quando ela é de tucanos. A lava jato só está preocupada em escolher a dedo quem governará.

Todos eles que querem que sejamos nós trabalhadores a pagar pela crise. Querem que São Paulo continue pagando a fraudulenta dívida pública e ainda usam isso de desculpa para nos tirar direitos.

Demagogia de Luiz Marinho do PT

O PT faz demagogia que governaria diferente com Luiz Marinho. Marinho que já foi presidente da CUT defende que seja feita uma reforma da reforma trabalhista de Temer pra continuar tirando direitos, defende a Lei de Responsabilidade Fiscal que impõe um limite para os gastos sociais pra garantir dinheiro pros banqueiros. Isso é o que está por trás do discurso demagógico do PT e é o que fariam em São Paulo, continuariam de outro modo os ataques que fazem os tucanos.

Para se enfrentar com a continuidade dos ataques aos trabalhadores, o Esquerda Diário apoia os candidatos do MRT em filiação democrática pelo PSOL que levam a frente um programa anticapitalista e da classe trabalhadora, que coloca entre um de seus eixos fundamentais de programa o não pagamento da dívida pública que suga os recursos do país, e em cada município, estado e no governo federal serve de desculpa para acabarem com a saúde, com a educação e com as aposentadorias ao passo que submete o país ao capital estrangeiro.




Tópicos relacionados

Marcio França   /    Paulo Skaf   /    Eleições 2018   /    João Doria   /    Política

Comentários

Comentar