Mundo Operário

CORONAVÍRUS: USP

Primeira conquista dos Trabalhadores do Hospital Universitário da USP

Hoje, 06 de maio, os trabalhadores do Hospital Universitário realizaram um importante ato em defesa dos direitos dos trabalhadores para que eles possam salvar vidas em meio a pandemia do novo coronavírus. A repercussão da ação fez o superintendente do Hospital retroceder em relação à disponibilidade de máscaras para todo o hospital. Uma primeira conquista fruto da luta dos trabalhadores.

quinta-feira 7 de maio| Edição do dia

Eles denunciavam a falta de EPIs, como máscaras cirúrgicas, que passaram a ser racionadas para a enfermagem, com uma máscara para todo o plantão de 12 horas, quando a recomendação é que sejam trocadas a cada duas horas. Para os trabalhadores dos setores administrativos, manutenção, nutrição entre outros, hoje o hospital sequer havia disponibilizado máscaras.

Já são mais de 40 funcionários contaminados e há vários com suspeita de contaminação aguardando o resultado do exame, dos diversos setores do HU. A ação dos trabalhadores no hospital foi acompanhada de um twitaço com a hashtag #HUdaUSPemLuta que atingiu o 7º lugar entre os assuntos mais comentados em São Paulo. A força dos trabalhadores e repercussão do ato na grande imprensa fez o superintendente retroceder e disponibilizar máscaras para todo o hospital.

Saiba mais: Quem são os trabalhadores da saúde?

Babi Della Torre, funcionária do Hospital Universitário e representante dos trabalhadores no Conselho Universitário da USP comentou em vídeo essa primeira e importante conquista dos trabalhadores:

Veja aqui: Sintusp aprova criação de comitê de trabalhadores do hospital da USP para combater a pandemia




Tópicos relacionados

Coronavírus   /    Hospital Univeristário da USP   /    USP   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar