Internacional

Presidente do Chile, Sebastian Piñera, sauda vitória do ultra-direitista Jair Bolsonaro

O presidente chileno Sebastian Piñera, que ja havia dado declarações apoiando o projeto econômico ultra-neoliberal de Bolsonaro, saudou a vitória do candidato do PSL, felicitando demagógicamente a eleição "limpa e democrática" para presidente.

domingo 28 de outubro| Edição do dia

o presidente chileno Sebastian Piñera foi o primeiro a prestar homenagens ao eleito Jair Bolsonaro. Em sua conta no Twitter o direitista parabenizou Bolsonaro por vencer uma “eleição limpa e democrática”, fazendo igual a mídia golpista brasileira e o judiciário, ignorando as denuncias de caixa 2 e de um conluio de disparo de “fake news” feito por empresários a favor de Bolsonaro, e também toda a manipulação do judiciário nas eleições, sob a tutela das Forças Armadas, com a prisão arbitrária de Lula e sua proscrição, com o vazamento de delações e o cancelamento de mais de 3 milhões de títulos eleitorais.

Piñera já havia declarado no ínicio do mês sua proximidade com o plano econômico de Bolsonaro e de seu “posto Ipiranga”, o ultra-neoliberal Paulo Guedes, dizendo que “no plano econômico, Bolsonaro aponta para a direção correta”, sendo mais um a defender o plano brutal de ataques da extrema-direita e do golpismo no Brasil, especialmente quando se trata de privatizações, assunto que o mandatário chileno é conhecido por ser grade defensor.

Veja abaixo o post no Twitter do presidente chileno:

"Felicito ao povo brasileiro por uma limpa e democrática eleição. Felicito a Jair Bolsonaro por seu grande triunfo eleitoral. O convido a visitar o Chile e estou seguro de que trabalharemos com vontade, força e visão de futuro em favor do bem-estar de nossos povos e da integração."

Piñera não foi o único presidente sul-americano a fazer declarações em homenagem à eleição do ultra-direitista Bolsonaro. O presidente argentino do Cambiemos, Mauricio Macri, também correu para declarar suas “felicitações” aos brasileiros pelo resultado da eleição.

A saudação de Piñera e também de Macri mostra que os governos direitistas e os patrões estão unificados para nos atacar. A resposta de Nicolas Del Caño, do PTS à declaração de Maurício Macri mostra que nós, trabalhadores, jovens, setores oprimidos da sociedade, também temos que nos unificar e combater na América Latina, com um só punho, esses planos de ataque. É fundamental tomarmos as ruas, formarmos nossos comitês de base em cada local de estudo e de trabalho, e fortalecermos nossa organização sindical e política para enfrentar Bolsonaro, Macri e colocar uma resposta dos trabalhadores para que sejam os patrões a pagar pela crise.




Tópicos relacionados

Eleições 2018   /    Bolsonaro   /    Chile   /    Internacional

Comentários

Comentar