Economia

EM MEIO À PANDEMIA

Presidente do Aço Brasil chora no STF enquanto Gerdau tem lucro de R$ 1,2 bi no 1º tri

sexta-feira 8 de maio| Edição do dia

No mesmo dia em que o presidente do Instituto Aço Brasil foi chorar no STF, junto de Bolsonaro e Paulo Guedes, a maior empresa de aço do país, Gerdau, apresentou lucro de R$ 1,2 bilhões no primeiro trimestre de 2020. Sim, em meio a pandemia, a gigante Gerdau vem lucrando horrores com a venda de aço e outros negócios.

A ida no STF foi organizada por Bolsonaro, Paulo Guedes e representantes de dinstintas áreas da indústria para pressionar o judiciário pela reabertura ainda maior da economia. Os milionários representantes de vários setores da economia choram para Dias Toffoli, mas suas planilhas de contabilidade mostram muito mais do que lágrimas – as empresas seguem lucrando bilhões em meio a pandemia.

Mas os R$ 1,2 bilhões parecem não bastar para Gerdau e outros empresários. Eles querem, além de seguir explorando os trabalhadores, voltar à normalidade do país em meio a um crescimento exponencial dos casos confirmados de COVID e as mortes beirando os 10 mil. Hoje o Brasil fechou o dia com o gigantesco número de 9.146 óbitos confirmados, desconsiderando os casos subnotificados que sabemos ser gigante no país.

A hipocrisia desses empresários, junto de Bolsonaro e Paulo Guedes, anda de mãos dadas com a monstruosidade. Não basta lucrarem em cima do trabalho alheio, agora eles querem a retomada das iniciativas econômicas de forma a expor ainda mais os já expostos trabalhadores à COVID.

É preciso dar um basta nessa política de Bolsonaro e os grandes capitalistas. Ao mesmo tempo em que escancara a cara mais cruel do capitalismo, demonstra como Bolsonaro representa o que há de mais podre nesse sistema. Apenas os trabalhadores podem oferecer uma saída a toda essa situação.




Tópicos relacionados

Coronavírus   /    Paulo Guedes   /    Jair Bolsonaro   /    STF   /    crise econômica   /    Economia   /    Política

Comentários

Comentar