Política

CORRUPÇÃO

Presidente da CPI das "fake news" gastava dinheiro público com empresas da família

terça-feira 1º de outubro| Edição do dia

Foto: Jorge William / Agência O Globo

Durante a época em que era deputado estadual, Angelo Coronel do PSD gastou 566 mil de verbas públicas, em empresas pertencentes à membros de sua família e à seu assessor. Mais um deputado "fake" moralista, segundo revelaram diversos meios de imprensa.

No período de 2015-2018 o então deputado pelo Bahia utilizou verba de sua cota parlamentar, valor atribuído aos deputados para "exercício da atividade parlamentar", para realizar pagamentos à empresas pertencentes ao conglomerado Corel Brasil Holding, que tem como presidente o filho do senador, Angelo Mario de Azevedo Martins Filho. Para completar, a Corel Brasil Holding possui apenas um acionista, a Jet Internacional Trading, cujo diretor presidente é nada menos do que o próprio Angelo Coronel.

Para acrescentar aos desvios para benefício próprio, uma das empresas pertencentes ao conglomerado que receberam verba, foi a XYZ Comunicação e Marketing, pertencente ao ex assessor de Coronel, Marcelo Cerqueira Santos, que também é diretor de outras quatro empresas que fazem parte do conglomerado Corel Brasil Holding da família do senador. A mesma recebeu o valor de R$ 392 mil de verba advinda da cota parlamentar. Para além desta, foram destinados mais R$ 173 mil para a BS2 Marketing e Publicidade, que também integra o conglomerado empresarial.

É necessário dar um basta ao desvio de dinheiro público, que pertence a ninguém mais do que a população. Para isso defendemos que todos os corruptos sejam julgados por jurí popular, e que acabem os privilégios para parlamentares e juízes, que todos ganhem o mesmo salário que uma professora.




Tópicos relacionados

Fake News   /    Senado   /    Corrupção   /    Política

Comentários

Comentar