Sociedade

MINAS GERAIS

Prefeituras de Minas Gerais não vão pagar 13º dos funcionários

Segundo Associação Mineira de Municípios, cerca de 70% das 853 cidades mineiras vão parcelar ou mesmo deixar de pagar o 13º salário dos funcionários neste ano.

sexta-feira 18 de novembro| Edição do dia

Foto: Site AMM - abertura do Congresso Mineiro de Prefeitos Eleitos

De acordo com a Associação Mineira de Municípios (AMM), presidida pelo prefeito de Barbacena (MG), Antônio Andrada (PSB), cerca de 70% das 853 cidades mineiras enfrentam dificuldades para pagar o 13º salário dos funcionários neste ano. O problema foi gerado, segundo a Associação, pela queda da receita e não devido o aumento das despesas.

Em Lavras, cidade localizada no sul do estado, os servidores deverão receber apenas 70% do 13º em 2016. A previsão é de que o restante seja depositado nas contas dos funcionários somente em 2017.

Essa situação irá se repetir em vários outros municípios, em muitos a situação é ainda mais grave. Andrada declarou que algumas cidades vão dividir o 13º em duas ou três vezes, ou até mesmo não irão efetuar o pagamento da gratificação. “Muito servidor vai virar o ano tendo recebido apenas uma parte do benefício ou talvez até nada”, afirmou o presidente da Associação.

O prefeito de Barbacena disse não existir uma fórmula para resolver o problema. “Não temos orientação a dar aos prefeitos, até porque seria preciso cortes duros para enfrentar esta crise e isso afetaria serviços essenciais, como saúde e educação”. Informações do Jornal Estado de São Paulo.

A situação calamitosa dos municípios de Minas Gerais é a mesma que atravessa outras cidades espalhadas pelo país, principalmente o Rio de Janeiro. Para impedir que trabalhadores não paguem pela crise é preciso taxar grandes fortunas e acabar com os privilégios dos políticos com seus super-salários, e juízes.




Tópicos relacionados

Minas Gerais   /    crise econômica   /    Sociedade   /    Economia

Comentários

Comentar