Educação

PERSEGUIÇÃO À PROFESSORA

Prefeitura de Vinhedo pune professora em luta, não aceitaremos calados!

Reflexões sobre a ação da Secretaria de Educação de Vinhedo e da Prefeitura da cidade após a punição direcionada a professora Paula Revoredo por sua participação na greve dos servidores municipais.

Grazieli Rodrigues

Professora da rede Estadual em Campinas

terça-feira 18 de julho| Edição do dia

Foto: Facebook/Reprodução

No dia 14 de junho a Secretaria de Educação de Vinhedo em consonância com Prefeitura (Prefeito Jaime Cruz, PSDB) do município, mostrou sua face mais obscura, formalizando após dois dias de greve e sem qualquer justificativa oficial o afastamento do cargo de coordenação da professora Paula Revoredo.

Essa decisão arbitrária e punitiva fere diretamente o direito de organização dos trabalhadores, previstos na Constituição, além de usar essa experiência como exemplo para inibir os trabalhadores quando estes se levantam para lutar contra os ataques dos patrões e dos governos. Para além disso, a decisão da SME tirou de exercício a professora que substituía Paula em seu cargo de docente, sem qualquer aviso prévio e de maneira tão abrupta e controversa quanto poderia ser, mostrando que para manter os seus interesses e fazer recuar quem não está do lado do Prefeito e seus duros ataques haverá sempre punições.

Paula assumiu o cargo após ampla discussão com os colegas de trabalho na Escola Nilza Ferragut, construindo na prática a experiência que o projeto de Gestão Democrática proposto pela Prefeitura se quer consegue sustentar enquanto ideia, essa punição é o exemplo mais claro da contradição dessa proposta e os interesses por de trás dela. São princípios desse projeto: Descentralização das decisões e ações; Participação ativa dos sujeitos da comunidade escolar em tudo que diz respeito a ela; e Transparência sob toda e qualquer decisão tomada no que envolve a escola, porém a postura da Secretaria de Educação e da Prefeitura em nada dialogam com o discurso bonito que vendem em seu projeto de Cidade.

Os professores da rede, estudantes, pais e membros do Coletivo de Educadores da cidade iniciaram uma Campanha que chamamos todos e todas a construírem: “Volta Paula! Por democracia na educação”, exigindo não só a volta de Paula para o cargo pelo qual foi escolhida pela comunidade escolar para exercer, como também a recontratação da professora que a vinha substituindo, prezando por um projeto educacional verdadeiramente democrático e todos os direitos de auto-organização dos trabalhadores.

Nós do Professores pela Base repudiamos essa e qualquer outra iniciativa da Prefeitura Municipal de Vinhedo e da Secretaria de Educação da cidade, que em tempos como esse mostra sua cara mais reacionária se levantando contra os trabalhadores que lutam e contra a construção de uma escola onde democracia exista para além do papel. Todo apoio a luta da professora Paula Revoredo e em última instância de toda comunidade escolar por um novo projeto de educação!




Tópicos relacionados

Educação   /    Professores   /    Campinas   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar