EMBRAER

Preço da Embraer cai 30% depois de acordo com a empresa imperialista Boeing

Já há mais de um mês depois do aviso da privatização da Embraer, que vai para as mãos da estrangeira Boeing, a empresa perdeu 30% em valor de mercado. Um dia antes da parceria, 4 de julho, a Embraer valia R$19,8 bilhões, na sexta, 3 de agosto, ela passou a valer R$13,8 bilhões.

Cássia Silva

estudante de Ciências Sociais na Unicamp e militante da Faísca

terça-feira 7 de agosto| Edição do dia

No 4 de julho deste ano foi anunciada a venda de 80% da área de jatos comerciais da Embraer para a companhia americana Boeing, o que significa passar para as mãos americanas a fábrica de aviões brasileira. Apesar de ser uma empresa privada desde 1994, o governo brasileiro possui o golden share, ação de classe especial que dá poder de veto em a grandes mudanças na Embraer. Essa negociação não conseguiu atender as expectativas do mercado. Só do dia 4 para o dia 5 de julho, a Embraer perdeu 14% em valor de mercado.

Com estimativa de concretização só em novembro, essa parceria depende do resultado das eleições presidenciais brasileiras. Por um lado, para evitar mais impopularidade para o governo golpista de Temer e seu projeto privatizador, por outro, para garantir que o próximo governo aprove o acordo, como já prometeram Alckmin (PSBD) e Bolsonaro (PSL).

Vale lembrar que essa negociação já está acarretando demissões e que faz parte do projeto privatista de entregar a produção brasileira nas mãos das empresas estrangeiras, assim como o pagamento da dívida pública, que reserva trilhões de reais para os bancos e empresários imperialistas. Em vez disso, a batalha para nós trabalhadores e jovens é que essas empresas se tornem 100% estatais e sob controle operário, como a campanha pela estatização da Petrobrás que o Esquerda Diário levanta, para que nossas riquezas deixem de ser entregues a preço de banana.




Tópicos relacionados

embraer   /    Privatização

Comentários

Comentar