Educação

USP LESTE

Precisamos falar sobre permanência estudantil: Fórum discute a situação das bolsas na EACH-USP

Na próxima segunda-feira, 22, às 14h30, ocorrerá na EACH-USP (USP Leste), o Fórum pela Permanência Estudantil. Esse evento será um espaço de debate entre os estudantes sobre a situação atual das políticas de permanência na universidade, e especialmente na EACH, e de deliberação das próximas medidas a serem tomadas nessa luta.

Julia Rodrigues

Estudante da EACH USP

sexta-feira 19 de agosto| Edição do dia

No início do ano, a SAS (Superintendência de Assistência Social), cortou o auxílio-transporte de R$200,00 que os alunos da USP recebiam, alegando que o benefício não era mais necessário devido ao passe-livre da prefeitura de São Paulo e da EMTU. Porém tal corte afetou centenas de alunos da EACH, pois utilizavam esse auxílio para complementar o auxílio-moradia de R$400,00 (que há anos não é reajustado), insuficiente para arcar com os aluguéis elevados pela inflação e especulação imobiliária.

Diante do corte, nós estudantes do campus fizemos uma forte mobilização. Ficamos acampados durante 23 dias na EACH; fizemos pela primeira vez um ato na Rodovia Ayrton Senna, fechando o acesso ao Aeroporto de Guarulhos; e também atos no campus Butantã para pressionar a SAS nos dias de negociação com o superintendente Waldyr Jorge. Revertemos o corte do auxílio-transporte, que retornou apenas para a EACH (única unidade que teve mobilização por esse motivo), com outra nomenclatura - apoio-manutenção.

No entanto, o apoio manutenção só ficou assegurado por dez meses. Isto significa que no próximo ano a reitoria cortará novamente esse auxílio e ele não estará no edital de bolsas do 1º semestre de 2017. Por isso, o Fórum pela Permanência Estudantil que ocorrerá na segunda-feira dia 22, tem como principal pauta a exigência de que a SAS assine uma portaria que torne permanente o apoio-manutenção. Também está na pauta a contratação de, no mínimo, duas assistentes sociais para a EACH, devido à defasagem do quadro de trabalhadores no campus - atualmente há apenas duas assistentes sociais para atender toda a demanda -motivo pelo qual as bolsas sempre atrasam no início do ano. Como último tópico da pauta, mas não menos importante, está a reivindicação de oferecimento de café da manhã no bandejão.

Os ataques àqueles que mais precisam da permanência estudantil são constantes na USP. Bolsas com valor congelado, retirada de auxílios e do direito ao passe-livre dos estudantes do CRUSP. Na EACH, diferentemente do restante da USP, mais de 60% dos estudantes vieram de escolas públicas, e cerca de 30% são negras e negros. Logo, é fundamental retomar a mobilização realizada no início do ano, para conquistar a assinatura da portaria e arrancar da reitoria nossos direitos, cada dia mais cerceados pelo infame reitor Marco Antônio Zago e pelo governo de Geraldo Alckmin.

Convocamos todos a participar do Fórum pela Permanência Estudantil a ser realizado na EACH, segunda-feira, 22, às 14h30 no Anfiteatro 03 (Prédio Ciclo Básico). Nenhum direito foi conquistado sem mobilização e luta. EACH Resiste!




Tópicos relacionados

Educação   /    Educação   /    Movimento Estudantil   /    USP   /    Juventude

Comentários

Comentar