Cultura

MÚSICA

Pra falar de música e de poesia: Lá Fora Frio, Aqui à Mil com Filipe Catto

Começou o Lá Fora Frio, Aqui à Mil, evento que acontece no SESC Campinas de 12 à 27 de julho, trazendo importantes nomes da música para uma leitura de poesias.

quinta-feira 14 de julho de 2016| Edição do dia

Na edição do ano passado, o evento contou com artistas como Anelis Assumpção e Lira, que se apresentaram em um momento de tensão na política nacional com a votação da redução da maioridade penal. Anelis e Lira conversaram com o Esquerda Diário sobre o tema, veja aqui e aqui.

A abertura do evento foi com Filipe Catto, notável cantor gaúcho da cena independente. Recomendo aqui seu último álbum lançado ano passado, Tomada.
Defino Filipe Catto como um artista envolvente. Tem uma dramaticidade muito particular em suas composições, combinando com uma voz que seduz e intriga. Na leitura de poesias não deixou de ser envolvente e trouxe para nós muito de sua influência na música.

O ambiente do Lá Fora Frio, Aqui à Mil é sempre aconchegante e promove uma aproximação interessante com o artista. Há uma conectividade sensível com o seu subjetivo. Funciona mesmo como uma troca de repertório e a vontade que vem é de sentar no palco, dividir uma bebida e conversar à noite toda dividindo também o nosso repertório de vida.

Filipe Catto abriu a noite com Lupcínio Rodrigues, cantor e compositor portoalegrense famoso por compor marchinhas de carnaval. Filipe faz uma relação com suas origens gaúchas e apresenta a canção própria Saga, inspirada no sentimentalismo de Lupcínio.

Amante da literatura portuguesa, compartilhou conosco um acervo riquíssimo da poesia e da música de Portugal. Leu poemas de Jorge Luis Borges, Sophia de Mello Breyner e Saramago, recomendando a leitura de Cinco Séculos de Sonetos Porgueses: de Camões a Fernando Pessoa, de Cleonice Berardinelli. Filipe também leu composições de Amália Rodrigues, grande representante da música portuguesa.

A leitura de poesias nesse ritmo envolvente, dramático e sedutor, ainda que com o charme cômico de Filipe Catto, teve seu momento especial com as obscenidades de Hilda Hilst. Filipe leu poemas como Colada à Tua Boca e Do Desejo. Recomendou o álbum "Ode Descontínua e Remota Para Flauta e Oboé, de Ariana para Dionísio" que reune poemas de Hilda Hilst musicados por Zeca Baleiro e cantou uma de suas faixas, Canção IX.

Filipe Catto dividiu conosco leituras de composições de clássicos do rock desde os anos 40 até o final dos anos 70. Esse acervo está reunido no livro do também português João de Menezes Ferreira, Estro in Watts - Poesia da Idade do Rock.
Filipe leu composições de Joni Mitchell, Leonard Cohen, Ian Curtis. Destaco aqui a leitura de Gloria de Patti Smith e Venus in Furs, de Lou Reed, que particularmente foi um dos momentos que mais me impactou. Finalizou a sessão de leitura dos clássicos do rock tocando Femme Fatale, do Velvet Underground.

A leitura de poesias continuou com os clássicos da música brasileira, românticos, dolorosos, carregados. Foi o momento de Maísa, João Bosco e Vínicius de Moraes e Chico Buarque.

Aconteceu também um importante momento de compartilhar as produções atuais. Como o próprio Filipe Catto apontou, num momento de ebulição cultural onde a mídia não apoia a cena independente, é importante fomentar o desejo por conhecer novos nomes na música e na literatura. Dividiu com o público o trabalho de Rafa Carvalho, poeta e músico que lançou seu primeiro livro de poesia "Auto-mar", editado pela Patuá.

Filipe também leu as obras da poeta marginal Ana Cristina César, recém homenageada na Festa Literária Internacional de Paraty.

A leitura segue com duas mulheres incríveis da música independente: Karina Buhr e Letícia Novaes, da banda Letuce. Filipe Catto leu escritos de "Desperdiçando Rima", livro de estreia de Karina Buhr que reúne poesias, fragmentos, anotações e desenhos e "Zaralha", também o primeiro livro de Letícia Novaes, ambos altamente recomendados pelo cantor.

Caminhando para o final da noite, Filipe Catto lê Alice Ruiz e Paulo Leminski, canta Auriflama do seu novo álbum e lê The Ship of Death, de DH Laurence.

O primeiro dia do evento Lá Fora Frio, Aqui à Mil já foi absolutamente intenso, deixando muito ansiedade para os próximos dias. Veja a programação abaixo:

  • 15/07 (sexta) – Slam das Minas com discotecagem de Luz Ribeiro, apresentação de Carol Peixoto, Mel Duarte e Pam Araújo. Local: Espaço Arena. Horário: 20h30.
  • 19/07 (terça) – Leitura de Textos e Poesias com Marina Lima. Local: Teatro. Horário: 20h30.
  • 20/07 (quarta) – Leitura de Textos e Poesias com Criolo. Local: Espaço Arena. Horário: 20h30.
  • 26/07 (terça) – Leitura de Textos e Poesias com Alzira E. Local: Teatro. Horário: 20h30.
  • 27/07 (quarta) – Leitura de Textos e Poesias com Emicida. Local: Espaço Arena. Horário: 20h30.

Para garantir seu lugar, retire o ingresso com antecedência no Sesc Campinas.




Tópicos relacionados

Cultura

Comentários

Comentar