Educação

CRISE NA EDUCAÇÃO

Porto Alegre tem déficit de pelo menos 250 professores na rede pública

segunda-feira 29 de maio| Edição do dia

Como aponta reportagem da Zero Hora, hoje a rede municipal de ensino de Porto Alegre conta com um déficit de cerca de 250 professores. As informações são confirmadas pela própria Secretaria Municipal de Educação (SMED).

As áreas de ensino mais afetadas são Português, Matemática, História, Educação Física e os anos iniciais do Ensino Fundamental. Milhares de professores que prestaram concurso recentemente aguardam as nomeações que não vem sendo feitas - segundo a Secretaria de Gestão, 5.877 professores completam o cadastro de concursados.

Existem casos bastante preocupantes, como o da EMEF São Pedro, na Lomba do Pinheiro, que conta com 12 professores a menos do que o esperado. Em média, nessa escola, seis turmas são liberadas todos os dias antes do horário por conta da falta de professores.

Dados como esses mostram o descaso do governo municipal para com a educação pública, precarizando o ensino público e contribuindo para inúmeros problemas que já existiam, como a sobrecarga dos professores, evasão escolar, etc.

Esses problemas se aprofundam na medida em que Marchezan ataca a educação pública e o conjunto do serviço público da capital. Não bastasse a mudança na escala de trabalho dos educadores, mudança que não foi debatida com a categoria e imposta de maneira autoritária, o prefeito tucano também vem afirmando há tempos a necessidade de se parcelar e atrasar os salários de todo o funcionalismo público.




Tópicos relacionados

Marchezan   /    Greve Professores RS   /    Porto Alegre   /    Educação

Comentários

Comentar