Opinião

JUSTIÇA DOS RICOS

Por uma campanha contra a absurda condenação aos 23 manifestantes de junho de 2013

23 manifestantes foram condenados a prisão arbitrariamente ontem. Isso se dá 5 anos depois das mobilizações de massa de Junho de 2013 iminentemente criminalizadas, antes pelo Governo PT e agora, com o golpe, pela mesma justiça que prendeu Rafael Braga.

quarta-feira 18 de julho| Edição do dia

Imagem: popSapiensa

O juiz Flávio Itabaiana do Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ) condenou a prisão os 23 criminalizados pelas manifestações de 2013 e 2014. Foi determinada a prisão em regime fechado. A pena da maioria deles é de 7 anos de prisão, sendo as acusações por crimes de associação criminosa e corrupção de menores.

A Advogado de Rebeca, Karlayne, Gabriel e Emerson, Italo Pires Aguiar afirmou que vai recorrer da decisão na justiça ao site G1:“A sentença, muito volumosa em termos de laudas, não enfrenta os argumentos da defesa, e nem fala das próprias provas. A sentença é genérica”, afirmou ele. Ao Portal Brasil 247, o advogado João Tancredo, que defende dois dos condenados, considerou que a decisão já era esperada, pelo perfil do juiz ao longo do processo.

"Deixo de decretar a prisão preventiva dos condenados, mantendo, contudo, as medidas cautelares estipuladas nos referidos acórdãos enquanto o presente feito não for remetido ao Egrégio Tribunal de Justiça para julgamento de eventual recurso de apelação. ", afirmou o juiz no texto. O Ministério Público, em 2015, pediu a prisão de 18 e a absolvição de cinco manifestantes. Porém, Itabaiana manteve a prisão dos 23 citados no processo. Entre os que foram condenados estão uma professora da UERJ, estudantes da UERJ, e ativistas da categoria de professores.

Enquanto os assassinos que mandaram matar Marielle permanecem soltos, sem punição e com uma longa e morna investigação feita pela própria polícia, a justiça pune os lutadores de 2013. Mais uma vez mostra sua face autoritária, em um governo de ricos, sentencia os manifestantes a cumprirem injustas penas.

Em junho de 2013 multidões saíram às ruas questionando ’Cadê o Amarildo’ numa clara denuncia da política de assassinato de trabalhadores negros. Cinco anos depois essa absurda situação se repete com Rafael Braga, vítima do racismo que se encontrava em posse de um Pinho-Sol, e agora os 23, perseguidos por terem se manifestado. Essa medida de prisão evidencia a perseguição política que estes vem sofrendo desde o início como uma forma de querer calar qualquer movimento de questionar o estado, e se manifestar politicamente. Além de abrir um gravíssimo precedente a todos aqueles que se colocam ao lado dos setores oprimidos contra as injustiças sociais e a miséria capitalista.

Os governos do PT são responsáveis diretos por essas prisões, além de terem sidos todos presos em seu governo, criou a Lei Anti-Terrorismo que só serve e servirá como criminalização dos movimentos sociais e partidos de esquerda nos momentos agudos de manifestações políticas. Os partidos de esquerda, movimentos sociais, sindicatos e entidades estudantis necessitam uma campanha que levante um amplo repúdio contra essas prisões políticas, a fim de impedir que elas efetivamente aconteçam.




Tópicos relacionados

Rafael Braga   /    "Partido Judiciário"   /    Jornadas de Junho   /    Poder Judiciário   /    Opinião

Comentários

Comentar