Política

ATAQUES DA DIREITA

Por que a direita se incomoda tanto com as mulheres ocupando os espaços políticos?

Diana Assunção

São Paulo | @dianaassuncaoED

Flavia Valle

Professora, Minas Gerais

quinta-feira 18 de agosto| Edição do dia

Diversos grupos de direita têm se organizado para bombardear páginas da esquerda com comentários reacionários e raivosos. Chegam a fazer ameaças e se sentem confortáveis para destilar ódio e preconceitos contra as mulheres as LGBTs, xs negrxs. Mas por que a direita se incomoda tanto com os oprimidos? Por que atacam tanto as mulheres?

Recentemente postamos nas páginas do Facebook das nossas candidaturas um vídeo que mostra um diálogo entre duas mulheres falando sobre ocupar a política. Centenas de comentários raivosos se seguiram com os mais diversos exemplos de machismo e misoginia. É somente assim que argumenta essa direita golpista, para destilar seu ódio contra mulheres que não abaixam a cabeça para seus ataques machistas e nem aceitam esse governo golpista e machista, com sua cúpula formada apenas por homens. Nos querem “belas, recatadas e do lar” enquanto defendem que a política seja ocupada por homens como Marcos Feliciano e Jair Bolsonaro, um acusado de estupro e outro que faz apologia ao estupro e à ditadura militar.

Se é verdade que o machismo não foi criado pelo capitalismo é igualmente verdade que a ideologia capitalista se serve muito bem do machismo para oprimir as mulheres e dividir a classe trabalhadora. Diariamente somos bombardeadas com propagandas que tentam nos impor um padrão de beleza e com isso nos fazer consumir cada vez mais produtos, roupas e medicamentos para que nos encaixemos nesse padrão.

Recebemos salários inferiores comparados aos homens. E são ainda menores se formos mulheres negras. Estamos nos trabalhos mais precários e sujeitas a dupla ou tripla jornadas. Nossos corpos são usados para vender de cerveja à desodorante, mas ao mesmo tempo temos nossa sexualidade reprimida e não temos sequer direito ao aborto.

Quando ocupamos as ruas e a política colocamos em cheque o patriarcado e o sistema que o sustenta, o capitalismo. Porque somos metade do gênero humano. Juntas conquistamos direitos como creches para nossos filhos, licença maternidade, o direito ao voto e podemos ir por muito mais. Unidas à classe trabalhadora podemos revolucionar a política e a sociedade. Por isso, precisamos lutar contra as opressões e contra a exploração do sistema capitalista. Sejamos milhares de mulheres nas ruas e na política!




Tópicos relacionados

Eleições 2016   /    Pré-candidatos MRT   /    Eleições São Paulo   /    Mulher   /    Política   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar