Sociedade

População protesta contra extinção de linhas de ônibus de Marchezan

Durante a pandemia o prefeito de Porto Alegre Nelson Marchezan (PSDB) extinguiu diversas linhas do transporte coletivo cedendo à pressão das empresas privadas. Milhares de trabalhadores de serviços essenciais e não essenciais, que são obrigados a seguir trabalhando, precisam se locomover em ônibus cada vez mais lotados aumentando o risco de contaminação pelo novo coronavírus. Marchezan segue a política de Bolsonaro reabrindo quase todo o comércio enquanto mantém linhas de ônibus extintas.

terça-feira 26 de maio| Edição do dia

Nessa segunda-feira (25) moradores e usuários do transporte coletivo da Lomba do Pinheiro, bairro da zona leste de Porto Alegre, foram às ruas se manifestar e exigir da prefeitura respeito às suas vidas. Organizaram um abaixo assinado (que compartilhamos aqui) exigindo que a Carris assuma imediatamente todas as linhas extintas durante a pandemia.

Hoje por hoje a Carris não tem recursos materiais nem humanos para isso, portanto é preciso exigir também, como medida emergencial, que todos os motoristas e cobradores demitidos pelas empresas privadas sejam incorporados pela Carris sem concurso público, pois já exerciam suas funções nas privadas e tem experiência. E que a Carris receba condições para assumir todo o sistema, do jeito que está não dá para continuar com o sistema sobrecarregado colocando a vida dos trabalhadores e de suas famílias em risco.

O ideal é que todas as empresas privadas sejam estatizadas e centralizadas na Carris sob controle dos trabalhadores e usuários como forma de garantir transporte seguro e sem lotação principalmente em tempos de pandemia. Todo o apoio aos trabalhadores da saúde e demais categorias que não foram liberadas para ficar em casa na quarentena. Se podem se expor assim em ônibus lotados podem também se manifestar e se revoltar com o descaso de Marchezan. Nossas vidas valem mais do que os lucros deles!




Tópicos relacionados

Sociedade

Comentários

Comentar