Sociedade

VIOLÊNCIA POLICIAL

Policial admite ter armado emboscada para atrair os cinco jovens assassinados

Além da prisão temporário do guarda-civil responsável pela armadilha que levou os 5 jovens a morte, ontem manifestantes ocuparam a Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo exigindo o fim do genocídio da população negra e justiça para os jovens assassinados.

sexta-feira 11 de novembro| Edição do dia

Ontem, 11, Policiais do Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) prenderam um guarda-civil de Santo André, na Grande São Paulo, que confessou ter armado emboscada dos cinco jovens da zona leste desaparecidos no dia 21 de outubro, cujos corpos foram encontrados em Mogi das Cruzes essa semana.

De acordo com o guarda municipal, a armadilha para atrair os jovens era um perfil falso de garotas criados em uma rede social, utilizado para convidas os jovens assassinados para uma festa falsa em Ribeirão Pires, outra cidade da Grande São Paulo. Poucos depois que os rapazes desapareceram o perfil foi retirado do ar.

Os investigadores da DHPP suspeitaram de que o guarda-civil estivesse por trás da criação do perfil falso na rede social. De acordo com a delegada Elizabete Ferreira Sato, responsável pelo caso o suspeito “confessou que montou a página para atrair os jovens”. Ela ainda afirmou “Conseguimos a prisão temporária dele por 30 dias”. A prisão do suspeito foi decretada pela Justiça de Mogi das Cruzes.

Também na tarde de ontem, manifestantes fizeram ato no Largo São Francisco, no Centro de são Paulo, contra a morte dos cinco jovens, exigindo punição dos responsáveis e o fim do extermínio de jovens da periferia promovido pela polícia.

Os manifestantes ocuparam a Secretaria de Segurança Pública. Os policiais fizeram um cordão para impedir que a ocupação se estendesse para além do saguão de entrada do prédio. O secretário de Segurança Pública, Mágino Alves Barbosa Filho desceu ao saguão por volta das 20h10 escoltado por policiais. Ele cedeu a pressão de receber uma comissão para protocolar documento contendo as reivindicações do ato, no entanto ele utilizou a escolta para fugir dos manifestantes.

Durante o protesto foi relembrada as mortes dos rapazes, assim como diversos casos que ressaltam o racismo e genocídio sofrido pela população negra por parte da polícia militar. Os manifestantes exigem o fim genocídio da população negra e o fim da polícia militar. A ocupação da Secretaria é um exemplo de luta que deve avançar para arrancar justiça pela morte dos cinco jovens, acabar com a violência que assassina a juventude negra e pobre e avançar para exigir também fim da polícia genocida do Estado.




Tópicos relacionados

Ocupações   /    #OCUPATUDO   /    Sociedade   /    Racismo   /    Violência Policial   /    Negr@s

Comentários

Comentar