CRISE NO RIO

Policiais usam Igreja para jogar bombas e garantir votação de pacote de Pezão na Alerj

A repressão duríssima para garantir a votação do pacote de maldades de Pezão na Alerj continua a tarde inteira, e a polícia chegou a jogar bombas de gás lacrimogêneo de dentro de uma Igreja para garantir a continuidade da votação.

terça-feira 6 de dezembro de 2016| Edição do dia

Foto: Luiz Souza/Fotoarena/Estadão Conteúdo

Foram tantas bombas jogadas do lado de fora da Alerj que mesmo no plenário onde se realizava a votação diversos assessores utilizavam máscaras para tentar minimizar os efeitos do gás lacrimogêneo que ali chegava. Uma deputada passou mal e teve que ser socorrida.

Eles utilizaram a sacada da Igreja localizada ao lado da Alerj para jogar bombas contra manifestantes. Esses, por sua vez, ergueram barricadas com placas de uma obra e atearam fogo. O conflito continua nos arredores da casa parlamentar, com uma duríssima repressão policial. O pedido feito pelo deputado Eliomar Coelho, do PSOL, para que as votações fossem suspensas devido ao confronto nas ruas não foi atendida pelo deputado Jorge Picciani, presidente da casa.

Os deputados também decidiram antecipar o calendário para que todas as medidas do pacote sejam votadas antes do prazo anteriormente estabelecido. Veja o novo calendário aprovado:

DIA 07/12 (votará dia 7 e 8 )

Extraordinária - 13h:

Projeto de lei 2.249/16 - Muda regras para pagamentos com precatórios: 60 emendas.
Projeto de lei complementar 37/16 – Proíbe por dez anos qualquer anistia aos devedores de impostos estaduais: 34 emendas.

Ordinária - 15h:

Projeto de lei 2.248/16 - Limita o subsídio do Bilhete Único a 150 reais: 121 emendas.

Projeto de lei 2.247/16 – Acaba com a isenção da tarifa da barca aos moradores de Ilha Grande e Paquetá: 27 emendas.
DIA 08/12 (votará dia 12 e 13)

Extraordinária - 13h:

Projeto de lei complementar 36/16 - determina que um percentual de 40% das receitas dos fundos estaduais e 70% do superávit financeiro – saldo positivo nas contas – possam ser utilizados para o pagamento de pessoal: 66 emendas.

Ordinária - 15h:

Projeto de lei 2.246/16 – Extingue os programas Renda Melhor e Renda Melhor Jovem: 24 emendas.

Projeto de lei 2.242/16 – Aumenta as alíquotas do ICMS: 87 emendas.
DIA 12/12 (votará dia 14 e 15)

Extraordinária - 13h:

Projeto de lei complementar 34/16 - Muda a forma de repasse do orçamento dos poderes do estado, que deixa de ter valor fixo e passa a ser um percentual da arrecadação real: 29 emendas

Projeto de lei 2.240/16 – Muda regras no Rioprevidência, aumentando alíquotas de servidores ativos e inativos de 11% para 14% e a contribuição patronal de 22% para 28%: 106 emendas.

Ordinária - 15h:

Projeto de lei complementar 35/16 - limita o crescimento da despesa de pessoal dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário e suas autarquias a 70% do aumento real da Receita Corrente Líquida (RCL): 38 emendas.

Projeto de lei 2.245/16 - Adia para 2020 aumentos salariais aprovados em 2014 e que entrariam em vigor em 2017 – 61 emendas.




Tópicos relacionados

Rio de Janeiro

Comentários

Comentar