Sociedade

VIOLÊNCIA POLICIAL

Polícia sequestra e espanca filho de ativista feminista em MG

Filho e irmã de Monica Aguiar, ativista do movimento feminista, foram espancados e o jovem foi levado por policiais sem identificação e sem mandado de prisão.

quinta-feira 26 de outubro| Edição do dia

Na tarde desta quarta-feira (25), sem absolutamente nenhuma explicação, a polícia invadiu a casa de Monica, quebrou móveis e espancou Lucas Emanuel Souza de Aguiar 22, seu filho. A irmã de Mônica, Marialina, ao ouvir o ocorrido, foi até a casa e também foi agredida pelos policiais ao tentar defender o sobrinho e teve uma arma apontada para sua cabeça. Marialina entrou no carro dos policiais, que estava sem identificação da polícia, para acompanhar o sobrinho que foi levado à força.

A irmã foi ameaçada diversas vezes para que saísse do carro e, ao se recusar, levou um choque do policial, assim como seu sobrinho, que teve o dedo quebrado. Foram momentos de terror que os familiares passaram, sem que houvesse qualquer razão para tal.

Marialina voltou para casa por volta das 14h, encontrou a irmã e contou o que havia acontecido. Mas somente às 22h conseguiram encontrar o rapaz no Ceflan (Central de Flagrantes da Polícia Civil). Durante todo esse tempo, ele ficou sob a custódia dos policiais, muito machucado e com o dedo quebrado. Além do abuso de autoridade, os policiais não deram sequer voz de prisão e mantiveram o jovem preso.

Abusos como estes demonstram que a polícia, muito mais que "despreparada", é preparada demais justamente para este tipo de situação. Não se trata de alguns policiais da corporação, algumas "exceções", se trata de uma instituição feita para perseguir e matar. Desmilitarizar uma instituição assassina e corrupta desde suas origens não basta, é preciso extingui-la.




Tópicos relacionados

PM   /    Sociedade   /    Violência Policial

Comentários

Comentar