Mundo Operário

PRISÃO ARBITRÁRIA

Polícia de Witzel prende profissionais da saúde que protestavam por condições de trabalho

Polícia de Witzel prendeu essa manhã, dia 23 de maio, profissionais da saúde por protestarem contra a falta de equipamentos básicos no combate ao coronavírus. A manifestação acontecia na Linha Amarela.

sábado 23 de maio| Edição do dia

Imagem: Reprodução

O nome dos detidos são Lúcia Pádua, agente de vigilância e Carlos, médico da saúde da família e comunidade. A polícia encaminhou os dois à 26ª DP da capital e todos os demais que estavam no protesto os acompanharam. A comissão de Direitos Humanos da OAB-RJ está assessorando o caso. Veja vídeo gravado ao vivo no momento prisão arbitrária:

Nos últimos dias, veio à tona um verdadeiro escândalo de corrupção envolvendo a compra de equipamentos e a construção de hospitais de campanha enquanto na linha de frente, faltam leitos, respiradores e EPI´s. O governo Wilson Witzel e de Crivella ceifam a vida dos mais pobres e negros no Rio, sem garantir nem mesmo o básico para o tratamento. Isso se dá com ainda mais força nos profissionais da saúde, que sentem na pele a precarização da saúde, e nem mesmo para protestar por melhores condições estão autorizados, segundo a polícia do governador.

Na semana em que a polícia de Witzel destilou seu racismo, tirando a vida de jovens negros por 3 dias seguidos, as instituições repressoras demonstram novamente sua faceta autoritária, dessa vez, impedindo o legítimo direito de manifestação. Não havia qualquer rompimento de isolamento social no ato.

Liberdade imediata a Lúcia e Carlos. Lutar não é crime.




Tópicos relacionados

Crise na Saúde   /    Coronavírus   /    Wilson Witzel   /    Saúde   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar