Política

CHILE

Piñera derrotado tenta agora entrar no movimento "Aprovo" com discurso de Unidade Nacional

Com a vitória do "Aprovo" por mais de 78% dos votos, Piñera fez um anúncio para não rachar sua coalizão e não aparecer como um setor que quer perder a eleição.

segunda-feira 26 de outubro| Edição do dia

1 / 1

Com uma forte saudação à democracia e à tradição republicana, Piñera fez seu discurso na noite de ontem após ficar sabendo dos resultados preliminares da votação eleitoral frente ao plebiscito constitucional.

A assessoria de imprensa do La Moneda aponta a uma clara derrota contra os setores da direita que se propunham a manter a Constituição vigente e promover reformas. No entanto, para evitar uma demonstração de derrota política do governo, Piñera elogia o processo como um "triunfo de todos os chilenos" . Isso enquanto há centenas de milhares na Plaza Dignidad celebrando o triunfo esmagador de "Aprovo".

“Hoje a cidadania e a democracia triunfaram”, afirmou Sebastián Piñera hipocritamente ao longo de seu discurso.

Assegura ainda que o governo “está comprometido com a democracia, a paz, a justiça e os direitos humanos ”, saudando o plebiscito e reivindicando a “tradição republicana e democrática”.

Piñera também se referiu ao "Acordo de Paz e a Nova Constituição", agradecendo ao resgate de seu governo, realizado por partidos de direita, a antiga Concertación e setores da Frente Ampla, reivindicando-o como um acordo de "paz e justiça".

“Hoje é a hora de curar as feridas do passado”, diz o presidente, que junto com seu governo permanece na total impunidade pelas violações dos direitos humanos. “Este é o amor pelo Chile”, continua em seu discurso, e depois chama todos os setores para “condenar a violência” e a ter “unidade para os desafios do futuro”.

Piñera encerrou seu discurso com um chamado hipócrita a não voltar aos caminhos do passado, o da rebelião que tanto temem. Os milhões de votos para aprovação podem se transformar em uma enorme força que pode derrubar toda a herança da ditadura.




Tópicos relacionados

Assembleia Constituinte Livre e Soberana   /    Sebastián Piñera   /    Assembleia Constituinte   /    Política   /    Internacional

Comentários

Comentar