Política

MINAS GERAIS

Pimentel compra helicópteros em meio a calamidade financeira em MG

O Gabinete Militar do governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), está comprando mais dois helicópteros, ao custo de R$ 21,8 milhões, em meio à "calamidade financeira" decretada pelo Estado. O governo alega que os modelos Airbus AS350 B3e, já encomendados, serão adquiridos para missões de segurança pública e defesa civil. Não há impedimento para que também transportem o petista.

quarta-feira 4 de janeiro| Edição do dia

Foto: Alan Marques/Folhapress

No domingo, dia 1º, Pimentel utilizou uma aeronave oficial para buscar seu filho em um condomínio às margens do lago de Furnas, em Minas, após uma festa de réveillon. O governador afirmou, em nota, que o uso do helicóptero é legal e citou um decreto de 2005 do então governador Aécio Neves, que autoriza que prevê a utilização para fins "de qualquer natureza".

O deputado estadual Sargento Rodrigues (PDT), porém, já afirmou que pedirá ao Ministério Público que investigue possível mau uso de recurso público.

As novas aeronaves, disse o governo, poderão ser acionadas para o transporte do governador, mas somente em casos excepcionais, como quando a aeronave que já é destinada a esse fim não estiver apta para voo ou sendo empregada em outras missões. O governador ainda lançou nota nesta quarta-feira, 4, afirmando que não usará as aeronaves que estão sendo adquiridas pelo governo do Estado.

Na nota, o governador esclarece que as aeronaves estão sendo adquiridas para atendimento a toda a população do Estado, em casos de resgate pelo Corpo de Bombeiros, Defesa Civil e Polícia Militar. "Os recursos para a compra dessas aeronaves são oriundos do Fundo Estadual de Saúde e, por esse motivo, nenhuma autoridade pode usar para o seu transporte. As aeronaves terão a finalidade de resgatar pessoas para atendimento, conforme orientado pelo edital de compra", afirmou.

Dos dois helicópteros que vão ser adquiridos, a previsão é que o primeiro seja entregue em agosto deste ano, disse Pimentel. Ele destacou que o reforço da frota de aeronaves, além de necessário, já constava no planejamento do Gabinete Militar, que coordena a Defesa Civil do Estado. O governador citou a necessidade de atender a população em setores essenciais diante da crise financeira. "Uma das finalidades do decreto de calamidade financeira aprovado pela Assembleia Legislativa do Estado é justamente, em um quadro de escassez de recursos, poder priorizar o atendimento em áreas fundamentais, como a Saúde e a Defesa Civil."

Como já expressado aqui, em Minas Gerais foi decretado calamidade financeira no final de 2016, enquanto se aumenta salário de vereadores da capital e adquire novos helicópteros. Mais uma vez, o governador petista mostra seus interesses e a quem serve, fazendo com que os trabalhadores e a juventude paguem pela crise, como por exemplo com o recém aumento das passagens de ônibus intermunicipal na região metropolitana, enquanto os políticos seguem com seus privilégios e acesso à aeronaves adquiridas com dinheiro público e utilizadas para interesses privados.

Com informações da Agência Estado




Tópicos relacionados

Minas Gerais   /    Contagem   /    Belo Horizonte   /    Política

Comentários

Comentar