Política

RIO DE JANEIRO

Pezão precariza ainda mais o HUPE

Juan Dias

RIO DE JANEIRO

segunda-feira 19 de junho| Edição do dia

Hoje segunda-feira 19, se deu iniciou a mais um processo de precarização do Hospital Universitário Pedro Ernesto. Em nome de enfrentar a crise e manter as grandes empresas isentas de pagar impostos e dívidas com o Estado, a qualidade e capacidade do atendimento do hospital serão reduzidos. Os números são escandalosos.

Os leitos destinados a internações serão reduzidos em 150 sobrando só 100 leitos. O atendimento ambulatório diminuirá mais da metade, de 150mil para 60mil atendimentos, e as cirurgias diminuirão proporcionalmente muito mais, passando de 2mil para só 300 cirurgias.

Pezão quer que essa crise seja paga pelos trabalhadores, não só deixando os funcionários públicos sem receber, mas também deixando morrer criminosamente a população do Estado do Rio com uma saúde cada dia mais precarizada e sucateada como expressa claramente o Hospital Universitário e a própria UERJ.

Assim os trabalhadores do HUPE realizaram um ato em defesa da saúde pública e do hospital e contra o plano de precarização do serviço público do Pezão e do PMDB. A crise é tal que muitos destes funcionários não tem dinheiro nem para pagar a passagem para ir até o hospital. Para enfrentar este e os outros ataques que os políticos dos ricos tem preparados para a classe trabalhadora é preciso medidas à altura destes ajustes.

É preciso organizar desde as bases nos locais de trabalho para superar os sindicatos e centrais sindicais que colocam freios à luta e organização dos trabalhadores como está se provando nas ações destes organismos que já estão preparando trair a luta contra as reformas frente ao chamado de greve geral para o 30 de junho. So se Temer e as reformas caírem pela força da luta dos trabalhadores e dos setores populares que pode se dar uma saída favorável aos setores oprimidos.

Só expressando mais fortemente a potência dos trabalhadores organizados como já foi no dia 28 de Abril que poderemos enfrentar real e seriamente Pezão, Temer e as Reformas. Por isso o Esquerda Diário está impulsionando a campanha “30J Tomar a Greve Geral nas Nossas Mãos”, para fortalecer a greve geral da sexta-feira 30 de Junho, fortalecer a luta para atender os interesses da classe trabalhadora numa saída independente, dos patrões nem políticos corruptos e impor com essa forte luta uma assembléia constituinte livre e soberana para mudar as regras desse jogo dos ricos.




Tópicos relacionados

Luiz Fernando Pezão   /    #UERJResiste   /    UERJ   /    Rio de Janeiro   /    Política

Comentários

Comentar