Política

RIO DE JANEIRO

Pezão, governador do Rio, é acusado de receber R$ 4,8 milhões em propina da Fetranspor

segunda-feira 20 de novembro| Edição do dia

Edimar Moreira Dantas, funcionário do doleiro Álvaro José Novis, entregou planilhas com todos os repasses de propinas efetuados no esquema de corrupção e afirmou em seu depoimento ter realizado cinco pagamentos para o atual governador do Estado do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, que totalizaram R$ 4,8 milhões.

Sob o codinome de "Pé Grande", os pagamentos foram feitos no período em que Pezão já havia assumido o governo do Rio, de julho de 2014 a maio de 2015. O delator afirma que o responsável por organizar os esquemas de corrupção na Fetranspor era José Carlos Lavouras e que a propina era passada para Pezão através de um assessor. Edimar afirma que sabia que o repasse era feito para Pezão devido ao apelido "Pé Grande".

Pezão, apesar da obviedade do codinome na planilha de repasses das propinas, afirma ser inocente e desconhecer o delator. A condução coercitiva de grandes corruptos do Rio de Janeiro, como Jorge Picciani, veio a tona dia 14 de novembro, que teve sua prisão decretada em Minas Gerais.




Tópicos relacionados

Luiz Fernando Pezão   /    Rio de Janeiro   /    Política

Comentários

Comentar