Pezão anuncia quitar salários em agosto, Temer injetará R$ 700 milhões para a polícia

sexta-feira 21 de julho| Edição do dia

Pezão anuncia quitar salários de servidores, com empréstimo, somente em agosto, enquanto isso governo federal anuncia aporte parcelado de R$ 700 milhões para a polícia, que na verdade não teve seu contingente aumentado. Mais repressão e outra promessa de salários em dia, após 6 meses de penúria e com o pacote de maldades, com todos os ataques garantidos e aprovados na ALERJ desde o final de Junho.

Pezão interrompeu seu Spa de luxo em Penedo, com R$14 mil reais de diária, e anunciou no dia de ontem que se encontraria com Michel Temer.

Após a aprovação do teto dos gastos que ataca os serviços públicos e mantém os privilégios do Judiciário no dia 29 de junho, nada mais faltava no amplo conjunto de ataques de Pezão para que o governo do estado do RJ recebesse o aporte de R$ 3,5 bilhões de Reais, que na verdade não pagam nem duas folhas salariais dos servidores do Rio.

Pezão agora anunciou que quitará as dividas com os servidores em agosto, o governador espera receber o empréstimo de R$ 3,5 bilhões após a absurda venda da CEDAE, que privatiza a água e o saneamento no Rio de Janeiro sem garantia nenhuma de melhorias na estrutura e investimentos na área.

Após a reunião foi anunciado um financiamento de R$ 700 milhões do governo federal que será dado em parcelas mês a mês para a segurança pública até o final do ano. A verba vai diretamente para pagamento de materiais, como compra de munições e até abastecimento das viaturas da Polícia Militar do Estado.

Junto a promessa dos R$ 700 milhões para a segurança pública veio o anúncio de um aumento de contingente de 800 homens da Força Nacional e da PRF, porém estes homens já estão trabalhando há duas semanas no estado, de acordo com o jornal Estado de São Paulo. Enquanto isso a população negra e pobre é assassinada diariamente nas favelas, o investimento na policia só agrava esse quadro, pois a função que essa instituição exerce é de exterminar a camada mais pobre da população sob o pretexto da guerra às drogas.

Os ataques que os governos de Temer e Pezão vêm realizando, com a piora dos serviços públicos e a retirada de direitos sociais, bem como a alta do desemprego ocasionada pelas demissões que os capitalistas impõem para preservar seus lucros, causam o aumento da criminalidade, da miséria e da violência no Rio. A resposta dos governos é mais polícia, ou seja, mais sangue negro sendo derramado nas periferias por essa instituição assassina. Não basta os cortes que fazem, tiram mais dinheiro para investir ainda mais em repressão, querendo calar a miséria e as convulsões sociais que eles mesmos causam na base da bala e do aumento do encarceramento em massa dos negros.

Os salários de maio, junho e o décimo terceiro de centenas de milhares de servidores estão atrasados, e não podemos confiar nesse governador que afirmou receber salários junto a UERJ, para somente alguns ias depois ir se hospedar em um Spa de luxo com o custo de R$ 14 mil a diária. Outras promessas de pagamento feitas por Pezão já foram descumpridas antes, e nada indica que dessa vez será diferente.

O anuncio de Pezão pode não significar nada, após seu amplo ataque aos trabalhadores não há garantias de que os salários serão realmente quitados, o que fica evidente após quase oito meses de penúria é que o Rio está sendo usado como laboratório de Temer e Meirelles para atacar os trabalhadores com suas perversas medidas.

Fonte da Foto: Jornal Estado de São Paulo




Tópicos relacionados

Corrupção Policial   /    Luiz Fernando Pezão   /    Crise no Rio de Janeiro   /    Governo Temer   /    Violência Policial   /    Rio de Janeiro

Comentários

Comentar