Política

SERGIO MORO

Petrobras vai pagar US$26 mil para homenagear o golpista Moro em Nova York

sexta-feira 16 de fevereiro| Edição do dia

O principal articulador da operação lava jato e um dos pilares do golpismo institucional e do recrudescimento do autoritarismo do judiciário, o juiz Sérgio Moro, além de desmontar a Petrobras e entrega-la aos interesses do capital estrangeiro vai agora receber homenagem e título de "personalidade do ano" pela Brazilian-American Chamber of Commerce em Nova York ao lado do 10° homem mais rico do muno, o ex-prefeito de Nova York Michael Bloomberg (para saber mais sobre ele clique aqui)

E tudo isso será patrocinado com o nosso dinheiro! Cada patrocinador irá desembolsar US$26 mil dólares garantindo acesso privilegiado aos homenageados na festa. Até agora as empresas patrocinadoras são: Petrobras, Bradesco, Itaú, Santander, Citibank, Bank of America Merrill Lynch e Safra.

Aparentemente os investidores não estão muito empolgados em patrocinar o evento neste ano. Até agora são sete patrocinadores interessados para as mesas principais do jantar, enquanto no ano passado, quando o prefeito João Doria (PSDB) e o ex-embaixador americano Thomas Shannon foram escolhidos, as mesas principais atraíram 15 patrocinadores.

Enquanto isso, Temer, em acordo com Fernando Pezão, acaba de anunciar uma intervenção militar no Rio de Janeiro como parte de mais uma escalada repressiva no país, ameaçando sitiar a cidade que no carnaval demonstrou todo seu repúdio ao golpe e aos ataques nos direitos trabalhistas.

Esse cenário em que Sérgio Moro será homenageado em Nova York bancado pela Petrobras e demais empresas, Temer anunciando intervenção militar no Rio de Janeiro,Rodrigo Maia acelerando negociações para a compra de votos da Reforma da Previdência e diversos outros absurdos que estamos vendo acontecer só demonstram a ligação direta do golpe institucional com os imperialismos, em particular dos EUA.

Enquanto milhares de brasileiros sofrem com o desemprego, flexibilização das relações de trabalho que precariza milhões de trabalhadores, as grandes empresas multinacionais comemoram a política econômica dos golpistas.
Por isso, é necessário levantar uma luta consequente que seja pela base das categorias, com assembleias democráticas, unificando em uma greve geral por tempo indeterminado para barrar a reforma da previdência e pelo direito do povo decidir em quem votar, estatizando a Petrobras sob controle dos trabalhadores, revogando inclusive todos os ataques anteriores como a reforma trabalhista, terceirização irrestrita, PEC 55, etc.

Que as centrais sindicais, como CUT e CTB, parem de corpo mole e preparem uma greve geral de fato, organizada pela base para colocar a classe trabalhadora como sujeito na realidade brasileira e dar uma resposta contundente a todos os ataques em curso e que avancemos contra todos os privilégios dos capitalistas e dos políticos.




Tópicos relacionados

Sérgio Moro   /    Política

Comentários

Comentar