Política

PRIVATIZAÇÃO

Petrobras faz parceria com empresa inglesa para entregar toda riqueza nacional

sábado 4 de novembro| Edição do dia

A Petrobras anunciou ao mercado que firmou uma "parceria estratégica" com a imperialista British Petroleum submetendo todo planejamento e projetos a esses interesses. Uma antessala da entrega das riquezas nacionais aos ingleses.

A British Petroleum, empresa responsável pelo maior crime ambiental da história, o vazamento da plataforma Deepwater Horizon no Golfo do México em 2010, será a "parceira estratégica da Petrobras" segundo comunicado emitido pelas duas empresas. Nos criminosos leilões do pre-sal ocorridos há poucos dias a inglesa já foi beneficiada com diversas parcerias com a Petrobras, arrebatando os campos gigantes de Alto de Cabo Frio Centra e Peroba.

Veja ocomunicado da Petrobras explicitando a parceria que significa entrega de ativos e de inteligência ao capital britânico:

Iniciamos negociação com a BP para aliança estratégica

Assinamos carta de intenções (LOI) com a BP para identificar e avaliar conjuntamente oportunidades de negócio, envolvendo ativos ou empreendimentos no Brasil e no exterior. O documento prevê cooperação nas áreas de exploração & produção, refino, transporte e comercialização de gás, GNL, trading de petróleo, lubrificantes, combustível de aviação, geração e distribuição de energia, renováveis, tecnologia e iniciativas de baixa emissão de carbono, visando o desenvolvimento de uma potencial aliança estratégica entre as companhias.

A LOI foi assinada em Londres, em 18 de outubro de 2017, pelo nosso diretor executivo de Refino e Gás Natural, Jorge Celestino, e pelo Presidente de Upstream da BP, Bernard Looney.

Como um importante passo, participamos junto a BP da terceira rodada de licitação da ANP sob o regime de partilha de produção, tendo adquirido direitos de exploração e produção para o bloco Alto de Cabo Frio Central, em um consórcio 50%-50%; e para o bloco Peroba, juntamente com a CNODC, subsidiária da CNPC, em um consórcio 40% Petrobras, 40% BP e 20% CNODC.

Também assinamos com a CNPC, em 4 de julho de 2017, um Memorando de Entendimento com o objetivo de formar uma aliança estratégica abrangente.

Para nós, a realização de parcerias é uma estratégia importante do Plano de Negócios e Gestão 2017-2021. As parcerias estratégicas têm como benefícios potenciais o compartilhamento de riscos, o aumento da capacidade de investimentos na cadeia de óleo e gás, o intercâmbio tecnológico e o fortalecimento da governança corporativa.




Tópicos relacionados

Privatização da Petrobras   /    Privatização   /    Política

Comentários

Comentar