RIO GRANDE DO NORTE

Petrobras entrega 34 campos de petróleo do RN à iniciativa privada por 3,75% do seu valor

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou nessa sexta-feira, 31, a privatização de ativos da Petrobrás em campos de produção terrestres no Rio Grande do Norte para a empresa Potiguar E&P S.A., subsidiária da baiana Petroreconcavo.

sábado 1º de junho| Edição do dia

No dia 25 de abril, a Petrobrás anunciou a entrega de cerca de 40 bilhões de reais acumulados em campos de petróleo, anos de trabalho e investimento vendidos por míseros R$ 1,5 bilhão. Saiu barato para a bahiana Petroreconcavo, que pagou 3,75% do valor acumulado e terá direito de lucrar às custas dos riquezas do estado.

A Petrobras fechou com a PetroRecôncavo a venda por US$ 384,2 milhões (R$ 1,5 bilhão) de 34 campos terrestres no Polo Riacho da Forquilha, na Bacia Potiguar, no entorno da cidade de Mossoró, no Rio Grande do Norte. Foram nada menos que 34 campos completamente entregues à iniciativa privada, patrocinada pelos seus acionistas imperialistas.

A operação inclui os campos de Acauã, Asa Branca, Baixa do Algodão, Boa Esperança, Baixa do Juazeiro, Brejinho, Cachoeirinha, Cardeal, Colibri, Fazenda Curral, Fazenda Junco, Fazenda Malaquias, Jaçanã, Janduí, Juazeiro, Lorena, Leste de Poço Xavier, Livramento, Maçarico, Pardal, Patativa, Pajeú, Paturi, Poço Xavier, Riacho da Forquilha, Rio Mossoró, Sabiá, Sabiá Bico de Osso, Sabiá da Mata, Sibite, Três Marias, Trinca Ferro, Upanema e Varginha. São 100% Petrobras, com exceção de Cardeal e Colibri (Partex tem 50% e opera) e Sabiá da Mata e Sabiá Bico-de-Osso (Sonangol tem 30% e opera)

Trata-se de um entreguismo absurdo por parte da empresa, que descartará 40 bilhões de reais em petróleo, infraestrutura, e um valor incalculável de anos de trabalho, que serão entregues por míseros R$ 1,5 bilhão para a União. Até agora, não houve nenhum pronunciando da governadora Fátima Bezerra (PT), a respeito dessa privatização, que apesar de ser uma decisão Federal, não encontrou nenhuma resistência por parte da governadora.

Fátima Bezerra, assim como outros governadores do PT, PSB e PDT do Nordeste, estão propondo um acordo com o governo Bolsonaro e com Paulo Guedes de apoiar a cessão onerosa de poços de pré-sal pelo país (sobretudo na região Sudeste), como condição de que parte dos recursos obtidos sejam revertidos aos estados para pagarem as suas dívidas fiscais. A cessão onerosa promete entregar sobretudo aos monopólios imperialistas de petróleo algo próximo de 800 bilhões de reais em barris de petróleo por 100 bilhões. A governadora Fátima prefere se aliar com o governo Bolsonaro na maior entrega de riquezas do país, aceitar a privatização de campos de petróleo, do que se enfrentar com os capitalistas e privatistas e seus lucros sobre as riquezas do país.

Nós do Esquerda Diário acreditamos que é necessário construir uma alternativa anticapitalista para a crise dos estados, ou seja, que se enfrente com as privatizações, voltadas ao pagamento da virulenta dívida pública. Defendemos a estatização da Petrobras sobre controle dos trabalhadores, para que os recursos do petróleo sejam revertidos para recuperar a saúde do estado, responder à crise das secas e enchentes, que a cada ano renovam suas vítimas, mas também para acabar com negociatas corruptas com os capitalistas.




Tópicos relacionados

Fátima Bezerra (PT)   /    Petrobras   /    Natal   /    Rio Grande do Norte   /    Privatização da Petrobras

Comentários

Comentar