Mundo Operário

PRIVATIZAÇÃO ESPÍRITO SANTO

Petrobrás acelera venda de campos terrestres no Norte Capixaba a preço de banana

Campos que geram R$ 1,5 bi podem ser vendidos a valor inferior ao produzido ao ano, empregos e renda serão perdidos para benefício de empresários.

quinta-feira 1º de outubro| Edição do dia

Imagem: FolhaPress

A Empresa privatizará campos terrestres sem estabelecer valores mínimos de venda e nem divulgação pública das negociações nesse escuso processo de venda, realizado na escuridão, sem licitação. Um processo fraudulento que só interessa a empresários e estrangeiros.

São eles, Cancã, Fazenda Alegre, Fazenda São Rafael e Fazenda Santa Luzia localizadas nos municípios de Jaguaré, Linhares e São Mateus. O polo possui ao todo 269 poços operando, quatro Estações Satélites no Campo de Fazenda Alegre, três estações de tratamento de óleo e 73,81km de gasodutos e oleodutos. Um patrimônio que deveria estar a serviço do povo capixaba.

Milhares de postos de trabalho do ES estão ameaçados por esse processo de entrega deliberada dos recursos. Esses recursos que poderiam ser utilizados, por exemplo, para construção de casas abrigo temporárias para mulheres vítimas da violência no estado irão direto para o bolso de empresários que adquirirem os campos terrestres.

O Espírito Santo tem um dos maiores campos terrestres do país. Pela cotação atual do dólar (R$ 5,61) e do gás ($ 5,8 dólares) a riqueza extraída geraria em torno de 712,5 mi, já o óleo, garantiria um retorno de 629,6 mi ao ano com a atual cotação de R$ 42 reais (Brent). Todos esses recursos serão perdidos para as mãos de empresários, com a política privatista de Paulo Guedes, Bolsonaro e a omissão consciente do governador Renato Casagrande.

Essa decisão aprofunda o caráter anti-trabalhador e pró-empresarial do regime político brasileiro, ainda mais reacionário. É urgente uma batalha contra a privatização, o que passa por defender Fora Bolsonaro e Mourão. O STF votará na quinta feira se permite ou não a venda de refinarias. Não podemos confiar nesse tribunal que foi um pilar do golpe institucional e hoje é leniente com o presidente justamente pois coincide com o mesmo em descarregar a crise nas costas dos trabalhadores.

A agressão contra as mulheres se tornou uma brutal rotina no estado, só esse ano, de janeiro a julho deste ano 259 crianças de até 14 anos foram vítimas de violência sexual, em média 1 estupro por dia. É no sentido oposto a esse caminho de favorecimento aos empresários, com uma Petrobras 100% estatal sob controle dos trabalhadores que se tornaria possível garantir recursos para a proteção efetiva dessas mulheres contra seus agressores. Nesse artigo, desenvolvemos essas e outras questões, levantando pontos programáticos que a esquerda deveria levantar junto a nós para que não sejam os trabalhadores, os negros, as mulheres e os lgbts que paguem pela crise no Espírito Santo.




Tópicos relacionados

Espírito Santo   /    Petrobras   /    Privatização da Petrobras   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar