Política

DENÚNCIA BARRADA

"Pela estabilidade e pelas reformas", deputados comprados salvam Temer

quarta-feira 2 de agosto| Edição do dia

Com 263 votos favoráveis ao parecer que indica a rejeição da denúncia de corrupção passiva contra o presidente Michel Temer, deputados vendidos dão vitória ao presidente golpista Temer. Votaram pela continuidade da investigação 227 dos 493 deputados presentes.

Foram diversos dias em que Temer buscou, muitas vezes individualmente, deputados indecisos para convencê-los a votarem contra a admissão da denúncia contra ele. O presidente abusou de liberação de verbas (R$ 3,1 bilhões), almoços e jantares, de ameaças de sanções políticas aos que votassem contra ele, para comprar o apoio dos parlamentares.

Durante a sessão, o ministro Antonio Imbassahy esteve ocupado da compra de votos. Um deputado postou uma foto em seu Instagram em que comemora a chegada da verba liberada pelo governo ao seu estado, como forma de garantir seu voto nesse dia.

O esforço de Temer tinha um objetivo, preservar a sua figura como ferramenta dos capitalistas para aprovar a Reforma da Previdência. Porém, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, indica que irá enviar novas denúncias contra o presidente, além de que essa votação não garante uma confiança política à Temer como capaz de aprovar essa profunda reforma aos trabalhadores.

O resultado não dá legitimidade a Temer nem lhe confere apoio popular, cada vez mais minguante. O resultado ilustra a divisão entre a elite brasileira sobre quem colocar para conduzir as reformas cortes de orçamento e outros ataques em curso. Diversos partidos se dividiram mesmo com as intermináveis benesses de Temer, e sua vitória de hoje promete novos embates por mais e mais cargos e mais disputas de cada partido e fração se preparando para 2018 em meio a grave crise econômica, política e social.

Temer se aguentar no poder com tão escandalosas denuncias, com tamanhos ataques como a reforma trabalhista só acontece graças a traição das centrais que abandonaram o caminho da greve geral. A força mostrada pelos trabalhadores no dia 28 de Abril mostra como é possível anular a reforma trabalhista e derrotar todas reformas e derrubar Temer. Para isso é necessário retomar o caminho da greve geral e impor às centrais sindicais assembleias e um plano de lutas para anular as reformas e derrubar Temer.




Tópicos relacionados

Câmara dos Deputados   /    Governo Temer   /    Michel Temer   /    Corrupção   /    Política

Comentários

Comentar