Sociedade

VACINA

Pazuello atribui atraso de vacinas ao fuso horário indiano

A fim de encontrar um motivo para esconder a completa ineficiência do governo federal na entrega das 2 milhões de doses da vacina importadas da Índia, Pazuello atribui a demora ao fuso horário indiano.

segunda-feira 18 de janeiro| Edição do dia

Foto: Jacob/ agência O Globo

Eram esperadas 2 milhões de doses da vacina Oxford/AztraZeneca para ontem, domingo, (17), que chegariam por meio de um carregamento de avião da Índia para o Brasil. No entanto, houve um atraso, e o Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, em coletiva de imprensa hoje (18), não soube dizer quando chegarão as doses do imunizante.

Pazuello, na tentativa de não admitir a falta completa de um plano eficaz de compra e distribuição de vacinas por parte do governo federal, afirmou que foram mudanças "logísticas" as responsáveis por atrasar o envio da vacina Coronavac aos estados brasileiros. E disse ainda que o fuso horário indiano cumpriu o papel de atrasar o envio das dois milhões de doses da vacina da Índia, pois para ele:

"O fuso horário é muito complicado. Nós estamos recebendo a sinalização de que isso deverá ser resolvido nos próximos dias dessa semana".

O atraso da vacinação, o aumento do número de mortes pela COVID-19, a escassez de equipamentos de segurança para profissionais da saúde e inclusive o caos vivido pela população pobre de Manaus, observando parentes e amigos morrerem na falta de oxigênio hospitalar, nada mais são que consequências diretas do governo Bolsonaro, negacionista, que em nenhum momento se preocupou com a vida dos milhares de trabalhadores que seguiram expostos durante a pandemia. O atraso dos imunizantes agora se trata de mais um episódio catastrófico deste governo herdeiro do golpe institucional de 2016, que segue aplicando ajustes para precarizar o trabalho e atacar a saúde pública, enquanto trabalhadores seguem morrendo.




Tópicos relacionados

Vacina contra a covid-19   /    Bolsonaro   /    Vacina   /    Vacinação   /    Ministro da Saúde   /    Eduardo Pazuello   /    Crise do Coronavírus   /    COVID-19   /    Coronavírus   /    Ministério da Saúde   /    Sociedade

Comentários

Comentar