Mundo Operário

GREVE

Patrão não paga o salário e ameaça fechar a fábrica: greve na autopeças Mecano Fabril

Começa mais uma greve na Mecano Fabril (autopeças de Osasco), a quinta só esse ano. Fábrica dá claros sinais de falência, e é bem possível que o patrão caloteiro feche as portas sem pagar nenhum direito aos trabalhadores, deixando mães e pais de família na rua sem condições de sustentar suas casas.

quarta-feira 24 de agosto| Edição do dia

Só a greve não basta, é preciso radicalizar!!

A situação insustentável em que se encontra a Mecano leva a necessidade de que os trabalhadores se mobilizem, mas depois de quatro greves, que juntas já passaram por mais de 30 dias parados só esse ano com facilidade, vemos que só a greve não é suficiente. É preciso parar, pois trabalhar de graça não dá, mas os trabalhadores devem buscar medidas mais radicalizadas para das uma resposta à crise em que se encontra a empresa.

Ato no centro de Osasco para buscar apoio da população

Uma primeira medida é organizar um ato no centro de Osasco chamando a população a apoiar a luta da Mecano. A população trabalhadora de Osasco tende a apoiar a luta, pois qualquer trabalhador será solidário a luta de operários que trabalham e não recebem e também pelo histórico de greves e lutas operárias que tem a cidade. Buscar apoio popular a luta legítima dos trabalhadores da Mecano é essencial.

A conversa de que um ato no centro da cidade seria uma forma de “queimar” a fábrica com os fornecedores e levar ela a falência não cola mais; o patrão caloteiro não tem mais nenhum crédito na praça, como diz o próprio administrativo da empresa. Dessa forma, devemos desde já buscar apoio da população trabalhadora de Osasco para nossa luta que é mais do que justa. É o mínimo, quem trabalhou deve receber seu salário no final do mês, quem trabalha de graça é relógio.

Se a fábrica fechar ocupar e colocar pra produzir sob controle dos trabalhadores

O ato em Osasco é importante também porque desde já devemos buscar apoio da população para outra medida que se faz cada vez mais necessária para garantir o ganha pão dos trabalhadores: em caso de fechamento sem que se paguem os direitos e salários atrasados deve-se ocupar a fábrica e colocar ela pra produzir sob controle dos operários.

O sindicato na assembleia de terça deu vários exemplos de fábricas que foram ocupadas e colocadas para produzir sob controle dos trabalhadores, o que mostra que é possível. Nós do Esquerda Diário também colocamos exemplos importantes de fábricas que foram ocupadas e funcionam sob gestão operária, Zanon e Donnelley, em nossa vizinha Argentina. Assim, nada impede que se o patrão caloteiro fechar a fábrica sem pagar os direitos e salários atrasados os trabalhadores ocupem e coloquem ela pra produzir sob seu controle.

O sindicato dos metalúrgicos de Osasco, filiado a Força Sindical, uma das centrais sindicais mais ricas do país, pode garantir linhas de crédito e financiamento inicial para que a fábrica comece a funcionar sob gestão dos trabalhadores. Nós do Esquerda Diário e da Juventude Faísca podemos ajudar estabelecendo contatos entre a fábrica e estudantes de engenharia da produção, administração, economia, que estariam mais que interessados em ajudar os trabalhadores nesse desafio de colocar a fábrica pra produzir sob seu controle.

É necessário que nos preparemos cada vez mais para essa medida que se mostra mais e mais urgente.

Nenhuma confiança na justiça dos patrões

É muito legítimo que os trabalhadores entrem na justiça para lutar por seus direitos e salários. Contra o patrão caloteiro devemos lutar por todos os meios possíveis para garantir o ganha pão dos trabalhadores. Mas devemos ter claro, a justiça não é neutra, nem cega, ela sabe muito bem quem olha e pra que lado pesa a balança, e todos nós sabemos que é para o lado dos patrões e dos ricos.

Assim, se devemos lutar também na justiça devemos ter claro que ali é terreno dos patrões. Que mesmo qualquer vitória possível será lenta, demorada e só será realizada se nos mobilizarmos e pressionarmos os juízes, advogados, desembargadores.

É necessário unificar todos os metalúrgicos de Osasco em luta por seus direitos, salários e empregos

O ato do dia 16/08 mostrou que os problemas não estão apenas na Mecano, mas em todas as fábricas do centro de Osasco; mostrou também que não só na Mecano, mas em todas as fábricas da região existe disposição de luta.

O sindicato deve unificar as diferentes lutas dos metalúrgicos de Osasco para que juntos, todos os trabalhadores possam dar uma resposta unificada aos ataques conjuntos dos patrões. Dividir as lutas em cada fábrica, deixar cada planta isolada das outras, só serve aos interesses da patronal. Precisamos de assembleias em cada fábrica, onde não só os diretores do sindicato falem, mas os trabalhadores do chão da fábrica, e que tirem delegados para um comando unificado que organize um plano de lutas contra os ataques dos patrões.

O sindicato dos Metalúrgicos de Osasco deve exigir também das demais centrais sindicais (CUT, CTB, CONLUTAS, UGT, etc) que saiam do seu imobilismo e organizem uma verdadeira luta rumo a uma greve geral, e não só atos teatrais na Av. Paulista, pois sabemos que a crise por que passa a indústria não afeta apenas Osasco, mas todo o país e portanto devemos organizar uma luta nacional dos trabalhadores contra a crise.

Trabalhador, pode lutar, o estudante está aqui pra te apoiar!!!

Nós da juventude Faísca e do Esquerda Diário nos colocamos em total solidariedade e apoio a luta dos trabalhadores da Mecano Fabril. Qualquer medida de luta dos trabalhadores conta com nosso total suporte e tentaremos dar toda nossa força para que seja vitoriosa.

Nos atos, nas assembleis, na greve, nos colocamos ao lado dos trabalhadores, pois entendemos que é essa classe que pode mudar o mundo. Assim, para qualquer medida de luta que tirarem os trabalhadores da Mecano Fabril podem contar com nosso apoio.

A luta na Mecano entra num momento decisivo; a ameaça de falência é real, já vimos que só mais uma greve não basta, pois o patrão caloteiro faz acordo mas nunca cumpre. Agora que deve aos trabalhadores mais de 3 meses de salários atrasados, sem falar em FGTS e férias, diz que não sabe quando terá dinheiro pra pagar. Só a greve não basta, é preciso radicalizar!!!




Tópicos relacionados

Greve na Mecano Fabril   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar