FAKE NEWS DE CURAS MILAGROSAS COLOCAM MILHÕES EM RISCO

Pastores bolsonaristas espalham “curas milagrosas” e ajudam a aumentar mortes na pandemia

Com vídeos e textos alardeando “curas milagrosas”, líderes religiosos evangélicos ligados ao bolsonarismo contribuem para que as pessoas sigam se expondo e se contaminando com o coronavírus, contribuindo ativamente para a disseminação da pandemia no Brasil.

quinta-feira 7 de maio| Edição do dia

Um vídeo do pastor Valdeir de Oliveira, da Assembleia de Deus na Praia Grande, circula pelos grupos de Whatsapp. Nele, em 03:49, o pastor criminosamente despeja sobre quem o ouve uma enxurrada de asneiras que poderiam até parecer engraçadas pela imensidão dos absurdos que ele diz, mas que são em realidade muito trágicas, porque podem custar uma imensa quantidade de vidas humanas.

Segundo Valdeir, ele possui uma receita que “um judeu” mandou a seu irmão que vive há “quase quarenta anos” nos EUA. Em seguida, ele demonstra como ao misturar em um copo d’água uma colher de bicarbonato e meio limão, e gargarejando a mistura, ele se considera imunizado contra o coronavírus.

Para “comprovar” a eficácia de sua receita, o pastor diz que o governo de Israel transmitiu essa receita a todos os seus cidadãos, e por isso “é o único país que teve o menor índice de coronavírus” (sic). E ainda agrega que “já tem alguns fake news que estão dizendo ‘ah não, isso não cura’, mas o bicarbonato, ele é um antisséptico natural, tá bom, que clareia os dentes, enfim, faz um monte de coisa”.

No entanto, uma rápida busca na internet mostra não apenas que Israel tinha, até dois dias atrás (5), 16.268 casos confirmados de COVID-19 com um total de 237 mortes, mas também que seu Ministro da Defesa de Israel, Naftali Bennett, fez um anúncio à imprensa noticiando que o Instituto de Pesquisa Biológica do país (IIBR) está elaborando um anticorpo para a covid-19. Se esse caminho será eficaz para a cura ou não, é algo que ainda estamos por saber, mas o que sem dúvida fica demonstrado é que o governo israelense está longe de apostar na “cura milagrosa” do pastor Valdeir, que ele afirma querer ver espalhada por todo o Brasil.

Infelizmente, não é apenas Valdeir que está interessado em espalhar essas mentiras assassinas. São inúmeras mensagens que circulam pelos mesmos canais onde há cerca de dois anos víamos as "mamadeiras de piroca" ajudarem a pavimentar o caminho para a eleição de um governo de extrema-direita que hoje está à frente do feito de governar o país com o maior número de subnotificações de contágio do coronavírus no mundo, e que caminha rapidamente para ser o epicentro mundial da pandemia, com mais de 126 mil contaminados e 8,5 mil mortos.


Mensagem com a "cura milagrosa" que circula.

Já o pastor Valdemiro Santiago, líder da Igreja Mundial do Poder de Deus, aproveita o desespero frente à pandemia para, é claro, tentar ganhar um dinheiro em cima da fé alheia. Ele divulgou um vídeo onde "vende" sementes por R$ 1 mil reais cada em que promete a cura contra a COVID-19 (mas ele também aceita "semeaduras" de R$ 500 se for o caso).

No vídeo, ele diz: "gente curada de estado terminal, gravíssimo. E tá ali o exame, para quem quiser. (...) Você vê como a semente é semeadora. E aí sim conseguiu vencer a crise e a epidemia. Só tem um jeito de se vencer essas fases difíceis. É semeando, e semeando na obra de Deus. Essa semente é interessante, você planta... É a semente ’sê tu uma bênção’. É, isso aqui não é brincadeira não. Você vai semear essa semente e na planta que nascer vai estar escrito ’Sê tu uma benção’ Mas isso aqui é enganar? Não, você que tá enganado. (...) Eu vou fazer o propósito de mil reais pra cada um deles".

O bolsonarismo não faz isso simplesmente por "loucura". Em sua tentativa de se consolidar como uma alternativa de extrema-direita, Bolsonaro desde o começo quis colocar nas costas de governadores, STF e outros setores do Estado a conta pela crise econômica em decorrência da pandemia e da condução capitalista dessa. Suas "carretas da morte" são uma forma de expressar esse apoio político, tentando angariar um forte setor social como base para um projeto de extrema-direita que está 100% ligado aos interesses de capitalistas, e que tem mandado os trabalhadores para a morte como gado num abatedouro, dizendo os lucros dos patrões valem mais do que nossas vidas. As igrejas evangélicas que o apoiam nessa empreitada são grandes "empresas da fé", com imensos lucros, e recebem imensas contrapartidas de Bolsonaro, como sua pressão sobre a Receita Federal para que suas dívidas milionárias sejam perdoadas, enquanto o governo sequer libera os R$ 600 do auxílio do qual milhões dependem para poder comer.

Nessa parceria, quem sai perdendo são os trabalhadores e o povo pobre enganados por esses mercenários, que, enquanto estão seguros e com suas fortunas em casa, deixam os fiéis de suas igrejas se contaminarem e morrer aos milhares.




Comentários

Comentar