UMA MÃO LAVA A OUTRA

Pastor Valdemiro, da Igreja Mundial, faz do seu culto o palanque político de Doria

domingo 26 de novembro| Edição do dia

Doria aparece extasiado com a quantidade de fiéis - ou eleitores - presentes no culto da Igreja Mundial: 15 mil pessoas, ele diz, exaltando com a hipocrisia padrão dos políticos patronais o "poder da fé" de "nosso povo".

Não se tratava, no entanto, de nenhuma demonstração de devoção de Doria, nem de uma súbita e inesperada conversão à denominação religiosa da instituição. Apenas uma troca de favores com um político que, ao invés do executivo ou legislativo, exerce seu poder por meio do púlpito.

Valdemiro, que fundou sua igreja como uma dissidência da Igreja Universal do Reino de Deus, de propriedade de Edir Macedo - que, não por acaso, também é tio do Bispo Crivella, prefeito do Rio de Janeiro - é um negociador do apoio de seus fiéis. Exemplos do poder político de Valdemiro não faltam, como quando aprovou na Câmara de SP a mudança do plano viário de Santo Amaro para regularizar a construção de um de seus templos.

Valdemiro hoje é aliado de Alckmin. José Olímpio é um representante de sua igreja no legislativo, e em 2016 abandonou o PP e se filiou ao DEM. A movimentação foi feita para antecipar a "saída do barco" do governo de Dilma, que afundava, para ir se juntar ao bando dos golpistas.

Doria, no culto desse domingo, 26, foi elogiado por Valdemiro diante da multidão de fiéis. O pastor disse que está satisfeito com João "trabalhador". Veja vídeo abaixo:




Tópicos relacionados

Bancada da Bíblia   /    João Doria   /    São Paulo (capital)

Comentários

Comentar