Educação

CAMPANHA

Participe da campanha das aulas-protesto contra o Escola sem Partido!

Professores de várias partes do país estão mandando suas aulas-protesto contra o projeto de lei Escola sem Partido e em apoio a professora Gabriela Viola, que foi afastada de sua escola por dar uma aula sobre Marx. Assista as aulas, e se for a favor de uma escola livre, participe da campanha mandando sua aula-protesto para o Esquerda Diário.

sexta-feira 22 de julho de 2016| Edição do dia

A primeira aula-protesto enviada foi feita pela professora Maíra Machado do ABC Paulista. Explicando conceitos básicos do marxismo como burguesia, proletariado e luta de classes a vídeo-aula chegou a mais de 195 mil pessoas, recebeu milhares de curtidas e gerou intenso debate nas redes sociais. Assista abaixo:

Ainda em São Paulo a professora Ana Paulo do ABC deu sua aula-protesto sobre ideologia, mostrando como "as ideias dominantes são as ideias da classe dominante", como dizia Marx, e que hoje são essas ideias dominantes, através de projetos políticos como o Escola sem Partido querem calar os professores que desenvolvem o pensamento crítico dos jovens. Confira a aula da professora Ana Paula:

A professora Marcela de São Paulo convidou Diana Assunção para dar uma aula-protesto sobre o privilégio dos políticos que ganham fortunas enquanto os trabalhadores da educação sofrem com baixos salários e ainda podem ser censurados e perseguidos por projetos conservadores como esses, como foi com a professora Gabriela Viola. Veja na aula a diferença absurda entre os salários de políticos, juízes e professores:

Em Campinas, interior de São Paulo os professores Danilo Magrão e Keka fizeram uma aula sobre a luta e resistência indígena, denunciando os absurdos cometidos pelo governo golpista do Temer e também nos anos anteriores de PT contra essas populações, vejam:

Com o título "Escola com liberdade" o professor Samuel Maia do Rio de Janeiro dedicou sua aula-protesto a demonstrar como é impossível oferecer conhecimento crítico aos estudantes sem abordar a literatura e os autores fundamentais das principais ideias do século XX, como é o caso do marxismo, liberalismo e anarquismo. O projeto Escola sem Partido esconde que quer limitar os currículos dos estudantes e impedir que conheçam parte fundamental do pensamento político-filosófico moderno. Com a palavra o professor Samuel:

Os educadores nordestinos também entraram com tudo na campanha do Esquerda Diário. O professor Ferreira de Pernambuco, deixou seu recado sobre o patriarcalismo e sua herança na opressão e violência a mulher. É preciso discutir gênero nas escolas para não perpetuar a cultura do estupro e da violência contra as mulheres:

Na Paraíba a professora Shimenny e o professor Gonzalo deram uma aula sobre o Estado, de suas diferentes formas até a atual, onde seus políticos cuidam dos interesses da classe dominante, ou seja, da burguesia.

Janaína Freire e Nivalter, também de Pernambuco, deram uma aula sobre hegemonia. A dominação da burguesia sobre os trabalhadores e oprimidos é a forma como se organiza a sociedade hoje, mas a luta dos jovens junto aos trabalhadores cria uma resposta contra-hegemônica na defesa dos interesses de toda a população contra os de uma minoria exploradora. Assista a aula:




Tópicos relacionados

Escola sem partido   /    Educação

Comentários

Comentar