Sociedade

ABERTURA OLIMPÍADAS

Para garantir a festa escondem o golpista

sexta-feira 5 de agosto| Edição do dia

A cerimonia de abertura das Olimpíadas do Rio de Janeiro começou com quebra de protocolo. Temer, que como presidente em exercício deveria ter sido apresentado, não foi, mesmo assim as vaias tomaram conta do Maracanã.

O espetáculo visual que conta com uma enorme tela de led no centro do Maracanã simboliza a "gambiarra", a "capacidade de sair do nada e fazer tudo", um lema que combina bastante com os tempos de crise e que parece algo que os golpistas gostam bastante de dizer como "Não fale de crise, trabalhe!". Querem impor aos trabalhadores e jovens brasileiros uma Olimpíada luxuosa e grandiosa, e uma clima de festa que não é nosso.

Ao longo da cerimonia o desenvolver da história da humanidade e do Brasil passa pela origem da vida e a história do país, em relação a escravidão no Brasil, Galvão em sua narração na maior e mais golpista emissora do país diz que "Os Negros (escravizados) estão representando a força de trabalho brasileira, e que a herança que deixaram foi a diversidade", uma ofensiva ideológica para fortalecer a farsa da democracia racial e cultuar o trabalho, o tão necessário trabalho ou no caso exploração de um povo que construiu o passado e que hoje precisa continuar construindo o futuro, calado.

Acompanhe a cobertura das Olimpíadas a partir de um outro olhar no Esquerda Diário.




Tópicos relacionados

Olimpíadas   /    Sociedade

Comentários

Comentar