Política

ELEIÇÕES 2018: ALCKMIN

Para ganhar eleitorado de Bolsonaro, Alckmin quer liberar armas no campo

sexta-feira 18 de maio| Edição do dia

Os aplausos recebido por Bolsonaro na feira Agrishow, maior evento do agronegócio no Brasil, demonstrou o apoio que conta o reacionário candidato do eleitorado ruralista. Esse fato deve-se ao discurso do pré-candidato assegurando aos latifundiários a defesa, principalmente armada, de suas terras, e atacando os movimentos sociais, como o MST, além de quilombolas e indígenas.

Leia mais: Ruralistas ovacionam Bolsonaro, candidato da expropriação da terra dos indígenas

O pré-candidato tucano, Alckmin, que não consegue emplacar nas pesquisas de jeito nenhum, mesmo buscando de todas as formas se exibir à burguesia como o candidato mais "pedigree puro", viu nesse nicho mais um aceno possível.

Em evento de sua campanha para o anúncio de sua equipe econômica, Alckmin declarou:

“Claro que porte de arma pode ter, na área rural, até deve ser facilitado.”

A declaração do ex-governador é mais um passo nessa tentativa de atração de um setor do eleitorado de Bolsonaro, outro exemplo é o provável apoio a um general para o cargo de governador no Ceará, Guilherme Teóphilo. Os militares, que vem dando diversas mostras de ativismo político nessas eleições, são outra das bases do eleitorado de Bolsonaro.

O evento apresentou os nomes de sua equipe econômica: Luiz Felipe D’Ávila, Edmar Bacha, José Rober e Alexandre Mendonça de Barros, liderados por Persio Árida, que em recente declaração disse que a "gestão econômica não pode ser engessada pela constituição", demonstrando como da mesma forma que o governo golpista pretende atacar a Constituição para aplicar a agenda de reformas.




Tópicos relacionados

Eleições 2018   /    Alckmin   /    Política

Comentários

Comentar