Gênero e sexualidade

LIMINAR DA "CURA GAY"

Para derrotar a liminar da “cura gay”, todos ao ato em São Paulo na sexta!

Na próxima sexta, 22, haverá uma manifestação em São Paulo contra a decisão da Justiça Federal que acata a liminar que permite tratar LGBT como doentes.

terça-feira 19 de setembro| Edição do dia

O escandaloso retrocesso da vez é que a Justiça Federal da Seção Judiciária do Distrito Federal acatou parcialmente a liminar contra a Resolução 01/99 do Conselho Federal de Psicologia. Esta liminar busca regularizar o uso de terapias de “reversão sexual”. Ou seja, permite que a homossexualidade e todas orientações sexuais e identidades de gênero sejam tratadas como doença.

Entenda: Justiça Federal autoriza psicólogos a tratar LGBTs como doentes

A situação toda gerou uma enorme indignação em todo o país, levando a que políticos conhecidos pela defesa dos direitos LGBT, como Jean Wyllys - único parlamentar abertamente LGBT - e também diversas celebridades se pronunciassem à respeito. Além de figuras conhecidas, vários jovens mostraram seu repúdio nas redes sociais e diversos eventos foram sendo criados espontaneamente, convocando manifestações contra esse ataque. Além disso, setores ligados à Psicologia também pronunciaram seu rechaço e o Conselho Federal de Psicologia irá recorrer à essa decisão.

O Esquerda Diário também foi procurado para se somar à essas manifestações. Prontamente colocamos todas as nossas forças para construir essa luta e exigir a imediata revogação dessa liminar que representa um enorme retrocesso que ataca a liberdade de gênero e retoma tempos onde os homossexuais eram torturados, isolados em manicômios ou até exorcizado, tudo por conta da orientação sexual das pessoas.

O ato em São Paulo pela revogação da liminar da "cura gay" será na próxima sexta, 22, às 17h, no vão do MASP.

Evento da manifestação: LGBT não é doença! Revogação Imediata da Liminar da "Cura Gay"

Veja também: Revogação imediata da decisão judicial que permite tratar LGBTs como doentes




Tópicos relacionados

LGBT   /    São Paulo (capital)   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar