PRIVILÉGIO DOS JUÍZES

Para defender seus privilégios, Juiz fala que mídia está fazendo “picuinha”

O Corregedor Nacional de Justiça, João Otávio Noronha, disse que é “picuinha” tratar do privilégio dos políticos como o auxílio-moradia, mesmo que estes já possuam imóveis. Defendendo a sustentação do Judiciário, que ninguém elegeu e que hoje se vira para atacar os trabalhadores aumentando a repressão e prendendo sem provas.

terça-feira 6 de fevereiro| Edição do dia

Aparentemente para o Juiz João Otávio Noronha o trabalho de mídias, como o Esquerda Diário, que vem insistentemente denunciando o absurdo que é poucos juízes, com vários privilégios, decidirem a vida de grande parte da população é “picuinha”.

Segundo ele, "A imprensa quer manter isso [no noticiário], é uma forma de fazer notícia atacando a magistratura", Noronha declarou isso ao participar do evento de abertura do ano Judiciário em São Paulo.

Com dados da ONG Contas Abertas, o gasto com auxílio-moradia no Judiciário e no Ministério Público consumiu R$ 5 bilhões nos último quatro anos. Sem nenhuma vergonha, Manoel Calças (Novo tribunal de Justiça de São Paulo) declarou “Tenho vários imóveis, não só um”, além de declarar que acha que o valor do auxílio-moradia é "muito pouco".

Nós do Esquerda Diário continuaremos denunciando os privégios do judiciário que ganha mais do que qualquer trabalhador, não foi eleito por ninguém e ainda retira o direito de votos de milhões, e ajuda o governo a colocar em prática a reforma trabalhista e a aprovação da reforma da previdência.




Comentários

Comentar