Política

REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Para a burguesia no meio do caminho tinha umas eleições

quinta-feira 8 de setembro| Edição do dia

O golpista presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), declarou nesta quarta (07) que considera "inócua" a decisão do governo golpista de Temer o envio da proposta de reforma da Previdência ainda neste mês ao Congresso, anunciada na última terça (06), pelo ministro golpista Geddel Vieira Lima. Tal medida segundo aliados interferiria no andamento das eleições municipais.

A reforma da previdência é a moeda de troca exigida pela mídia, que elevou o tom desde a consumação do golpe, cobrando que seja aprovada imediatamente em todos os editoriais dos principais veículos de comunicação do país. Uma vez que foram uma ala forte que ajudou a colocar Temer no poder com a promessa de equilíbrio das contas públicas por meio de ataques severos aos direitos dos trabalhadores.

O PSDB por sua vez segue linha semelhante à da mídia e empresários, que pressionam pelo encaminhamento da votação da PEC sob a ameaça de romper com o governo caso não seja aprovada ainda este mês. Esse é preço cobrado pelos "vitoriosos", ajustes duros nos direitos trabalhistas!

Em virtude das eleições municipais, as sessões na Câmara ocorrerão apenas entre os dias 12 e 14, após esse período a casa entrará em recesso, para que os congressistas concentrarem-se nos respectivos redutos eleitorais, para seguirem seu plano de iludir com promessas infundadas à classe trabalhadora e a juventude no período eleitoral.

No caso, o que vimos na semana passada foi a consumação de um golpe institucional pela direita golpista e reacionária, que governou lado a lado com o PT durante seus anos de governo, mas que acharam insuficientes as medias de ajuste já impetradas pelos petistas, e decidiram pela retirada de Dilma, para avançarem com mais força e rapidez nos ajustes, e na manutenção dos privilégios dos empresários e políticos, que estão a serviço não apenas da burguesia nacional, mas também do imperialismo a quem querem entregar as estatais.

Por isso é necessário que se avance nas mobilizações contra o governo golpista, e de forma independente do PT que chama nesse momento Diretas Já, com o claro objetivo de erguer a figura de Lula para presidência do país, frente a enorme crise de representatividade. A saída proposta pelos petistas não responde aos anseios da população que enfrenta o desemprego e a carestia de vida, e está sob ataque direto dos setores golpistas com as PECs e PLPs, que retiram direitos conquistados a duras penas pelos trabalhadores.

É necessário que CUT e CTB saiam das palavras à ação, e organizem centenas de milhares de trabalhadores para ir às ruas junto à juventude que luta pelo Fora Temer, e enfrente duramente os ataques aos direitos, e ao emprego, com greves, piquetes e mobilizações. Para enfrentar os golpistas e os ajustes é necessário construir uma greve geral, que aliada as mobilizações pode ir por mais, e impor por meio da luta uma assembleia constituinte livre e soberana, que coloque as demandas dos trabalhadores na pauta do dia, que imponha a todo político receber o mesmo salário de uma professora e tenham seus cargos revogáveis a qualquer momento, como medida para combater os privilégios dos políticos da ordem.




Tópicos relacionados

Governo Temer   /    Ajustes Fiscais   /    Pacote de ajustes   /    Política

Comentários

Comentar