MANCHAS DE ÓLEO NO NORDESTE

Para Secretário da Pesca, peixe pode desviar de manchas de óleo com sua inteligência

“O peixe é um bicho inteligente, quando ele vê uma manta de óleo, ele foge” disse o Secretário de Pesca, Jorge Seif Júnior em live com Bolsonaro em relação às manchas de óleo nas praias do Nordeste.

sexta-feira 1º de novembro| Edição do dia

Na última quinta-feira, 31, em live no Facebook com o presidente Jair Bolsonaro, o secretário de Aquicultura e Pesca, formado em Administração de Empresas e Marketing, afirmou que está liberado consumir pescados no litoral do Nordeste, região devastada com manchas de óleo em incontáveis praias, porque os peixes são “bichos inteligentes” que estão fugindo da contaminação.

“O peixe é um bicho inteligente. Quando ele vê uma manta de óleo ali, capitão, ele foge, ele tem medo. Então, obviamente, você pode consumir o seu peixinho sem problema nenhum. Lagosta, camarão, tudo perfeitamente sano, capitão”, disse ele.

A declaração do secretário de pesca é uma piada com toda a população do nordeste que tem manchas que só crescem nos litorais em mais de 130 praias. Mais uma declaração absurda do governo Bolsonaro em relação ao vazamento de petróleo na região, que vem causando danos e levando até ao hospital a população que está se dispondo a limpar as manchas.

O descaso do governo é absurdo e as declarações de seus representantes mais ainda. 17 pessoas já foram parar no hospital, mas para Mourão o "’Máximo’ que governo pode fazer é ter gente para recolher óleo no litoral nordestino". A população da região do litoral do NE vem combatendo por iniciativa própria as manchas de óleo nas praias entrando em contato com substâncias tóxicas que já causaram enjoo, tontura, náusea, alergia, dentre outros sintomas.

Enquanto o ministro do turismo, Marcelo Álvaro Antônio, e Mourão, afirmaram que as praias estão limpas para banho, as pesquisas mostram que em 3 a cada 10 praias que foram limpas as manchas estão voltando.

A afirmação do secretário de pesca foi tão absurdo que até Bolsonaro, que estava ao lado, chegou a engasgar e ressaltou, entre uma tosse e outra, que em alguns casos animais marinhos podem se contaminar com óleo. “Obviamente, às vezes fica ali uma tartaruga na mancha de óleo, pra não falar que ninguém fica, né? Um peixe, um golfinho pode ficar. Mas, tudo bem”.

Para completar, reportagem da Folha de S.Paulo em abril revelou que a família de Seif Júnior, tem pelo menos 10 multas ambientais, a maior parte por infrações de pesca devido aos seus negócios no ramo.

A mais grave delas é pelo transporte de mais de 12 mil kg de cherne-poveiro, espécie classificada como criticamente em risco de extinção, a qual o secretário pediu retirada da espécie da lista de animais ameaçados como um dos seus primeiros atos na pasta, por benefício próprio. A JM Seif Transportes Ltda., empresa de Jorge Seif, pai do secretário de pesca, foi multada pelo Ibama em R$ 300 mil, em 18 de agosto de 2014, pelo transporte dessa espécie.

Cada vez mais o governo deixa muito explícita seu descaso com a população que vive em diversas cidades do Nordeste que continuam sendo atingidas pelas manchas de óleo. Boa parte da população tem a pesca como sustento. Enquanto Jorge Seif Júnior não se importa com extinguir espécies para seu lucro, ele afirma que os trabalhadores e a população podem vender peixe contaminado porque eles vão saber desviar. Uma piada.

O meio ambiente e os trabalhadores locais são os mais afetados com o óleo nas praias. Enquanto isso, Bolsonaro e sua corja anti-ciência seguem seu projeto de conter a crise capitalista às nossas custas. Não vamos aceitar essa negligência.




Tópicos relacionados

Vazamento de óleo no Nordeste   /    Governo Bolsonaro   /    Nordeste   /    Meio Ambiente

Comentários

Comentar