Economia

PEC DOS BILIONÁRIOS

Para Bilionário Abílio Diniz, Brasil se tornou o melhor lugar para investidores no mundo

Declaração do bilionário veio logo após a aprovação da PEC 241. Para bilionário, a aplicação dos ataques de Temer trás de volta a confiança (leia-se agrada a sede por lucro garantido) dos especuladores internacionais.

quarta-feira 12 de outubro| Edição do dia

Abílio Diniz, um dos 70 maiores bilionários do Brasil, ex-dono do Grupo Pão de Açúcar e atual presidente do conselho da BRF, distribuidora global de alimentos, afirmou após a aprovação da PEC 241 que o Brasil se tornou o melhor lugar para investidores no mundo. Para ele, a aprovação da PEC foi “a grande vitória do governo brasileiro”.

O bilionário vinha declarando no ano passado que a crise política brasileira sinalizava instabilidade aos investidores internacionais: "Ninguém está investindo, porque está faltando confiança" disse na ocasião de um “BRF Day”. Porém, o Golpe e os ataques do governo golpista mudaram sua opinião. A aprovação da PEC que congela os gastos com serviços públicos até 2036 por parte do governo golpista mudou a opinião do bilionário. Em defesa do ataque à saúde e educação públicas, para Abílio a medida é a primeira de muitas que deveriam ser tomadas pelo governo "Com a esperança, vem a confiança."

"Tudo que é bom para o Brasil é bom para a companhia", termina o bilionário. Podemos acrescentar que tudo que é bom para os investidores internacionais e os ricos, é ruim para os trabalhadores e o povo pobre. Uma aliança aonde entre a casta política mantém seus altos privilégios e corta brutalmente dos serviços públicos essenciais aos trabalhadores, e empresários nacionais e investidores internacionais.

Bilionários e o capital internacional apoiaram o golpe institucional porque esperam este e mais ataques do governo Temer em um desmonte dos serviços públicos para com isso garantir o pagamento da dívida pública e ter a máxima garantia para que seus investimentos sejam lucrativos, a PEC 241 é um dos primeiros passos neste sentido.

Leia também: Bolsonaro desaponta "bolsominions" ao votar pela PEC 241




Tópicos relacionados

PEC 241/55   /    Rio de Janeiro   /    Economia

Comentários

Comentar