Mundo Operário

Panfletagem na Fábrica, contra a Reforma da Previdência: você consegue trabalhar até os 80 anos?

Estudantes e trabalhadores do ABC panfletaram hoje pela manhã na Firestone em Santo André, levando a discussão sobre a Reforma da Previdência que quer nos fazer trabalhar até morrer.

segunda-feira 18 de fevereiro| Edição do dia

A pauta da previdência está na boca do governo desde o golpe, é a menina dos olhos de toda a burguesia sedenta para poder nos explorar cada vez mais, tendo dividas milionárias perdoadas enquanto descarregam a crise nas costas dos trabalhadores e engordam cada vez mais seus bolsos.

O panfleto que entra hoje na fábrica fala de auto-organização, a reforma da previdência é um ataque brutal aos direitos dos trabalhadores, junto a reforma da previdência que já mostra suas caras, como na GM por exemplo, somente os trabalhadores organizados poderão lutar por suas pautas, o governo já deixou mais do que claro que seu único interesse é de retirada de direitos mínimos já conquistados.

Saiba mais: Para manter seus lucros, GM pretende acabar com os direitos trabalhistas

O governo Bolsonaro consolida cada vez mais o plano de manter os privilégios de alguns poucos, totalmente aliado aos interesses imperialistas e a política xenofóbica de Donald Trump, as custas de precarizar ainda mais a vida do trabalhador. Todas essas medidas, reforma trabalhista, lei da terceirização irrestrita e agora a reforma da previdência, vem com o discurso de que o país está em crise e todos precisam se esforçar para salvá-lo, uma falácia das grandes, pois quem paga são sempre os trabalhadores. Perdemos direitos mínimos enquanto vemos diariamente os luxos e salários exorbitantes de políticos e os lucros dos capitalistas crescendo.

Vemos por exemplo o caso da GM, onde a maior empresa automobilística do país, que foi líder de vendas pelo quarto ao consecutivo, tendo seu modelo Onyx sendo o carro mais vendido do país, em prol de manter lucros exorbitantes, ameaça direitos históricos dos trabalhadores.

As Centrais Sindicais precisam sair dessa paralisia sufocante e organizar assembleias em cada local de trabalho para efetivar a luta pelos nossos direitos. Já vimos a que esse governo veio, destilando racismo, machismo, lgbtfobia e sem nenhum tipo de receio de atacar diretamente nossas vidas, como essa reforma da previdência que nos quer trabalhando até morrer.

Leia Também: Bolsonaro concorda com Maia: devemos trabalhar até morrer




Tópicos relacionados

Governo Bolsonaro   /    Reforma da Previdência   /    Reforma Trabalhista   /    ABC paulista   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar