Internacional

América Central

Panamá: estudantes universitários lideram protestos contra cortes no orçamento

Os protestos aumentaram nesta quarta-feira após o anúncio de um corte no orçamento da Universidade do Panamá de 91 milhões de dólares, de modo que estudantes universitários lideraram os protestos.

sexta-feira 11 de setembro| Edição do dia

Estudantes lideram protestos em defesa de uma educação de qualidade em um contexto em que o Panamá é um dos líderes nos números de contágio (90 mil casos), segundo denuncia a Associação de Enfermeiros do Panamá (ANEP), que acaba de convocar sessões de mobilização em função das necessidades enfrentadas pelos trabalhadores da saúde diante da crise de sanitária causada pela Covid-19.

O professor José Álvaro, presidente da Associação de Professores da Universidade do Panamá (APUDED), denunciou que este corte no orçamento da Universidade do Panamá representa o impacto da constituição do Centro Universitário Regional de San Miguelito, a construção da Faculdade de Enfermagem e Medicina, a aquisição do terreno para construção da Faculdade de Ciências Agrárias, bem como as despesas de manutenção de toda a universidade.

“É lamentável esse enfraquecimento orçamentário que afeta áreas que devem enfrentar a luta contra a Covid-19, melhorar as instalações de pesquisa e treinamento de médicos, enfermeiras e fortalecer a segurança alimentar”.

No Panamá este fato é grave, pois, para enfrentar uma crise como a pandemia, a ciência e a pesquisa são fundamentais, e a Universidade do Panamá é uma das instituições chave para o desenvolvimento de pesquisas que possam contribuir para o desenvolvimento da solução dos problemas nacionais incluindo de saúde pública.

O reitor da Universidade do Panamá, Eduardo Flores apresentou um orçamento de US $ 395 milhões, mas foi cortado para US $ 285 milhões para o ano de 2021, ou seja, US $ 110 milhões a menos.

Com o sindicato da saúde sem receber seus salários, sem insumos suficientes e futuros profissionais que veem sua educação atacada, o governo do Panamá condena a maioria da população a ver seus direitos e conquistas diminuídos.




Tópicos relacionados

COVID-19   /    América Latina   /    Internacional

Comentários

Comentar