Negr@s

Desemprego: Falta trabalho hoje para 27,6 milhões de pessoas no Brasil

País tem 3,1 milhões de pessoas em busca de um emprego há mais de dois anos.

Hoje são 27,6 milhões de brasileiros desempregados segundo Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) trimestral, compilada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O que se vê é que os números são um retrato da situação do emprego no País no segundo trimestre de 2018 (abril, maio e junho). E fato também é que a taxa de subutilização da força de trabalho teve um recuo nesse período: foi de 24,7% referente ao primeiro trimestre de 2018 para 24,6% no segundo trimestre.

sexta-feira 17 de agosto| Edição do dia

O que é a taxa de subutilização de força de trabalho?

A taxa de subutilização de força de trabalho é um indicador que inclui o percentual de desocupação, a taxa de subocupação por insuficiência de horas e a taxa da força de trabalho potencial, ou seja, as pessoas que não estão em busca de emprego, mas estariam disponíveis para trabalhar. No segundo trimestre do ano passado, essa taxa estava mais baixa:23,8%.

Mais de 3 milhões de pessoas desempregadas há mais de dois anos

Um número gritante: São 3,162 milhões de pessoas em busca de um emprego há mais de dois anos. Um recorde nada comemorativo para a classe trabalhadora, os negros, mulheres e jovens que sentem na pele o aprofundamento do golpe institucional. Os números não mentem: Houve aumento tanto em quantidade de pessoas atrás de uma vaga todo esse tempo, quanto em proporção de pessoas em relação à população desempregada. Comparando novamente com o segundo trimestre de 2017, houve aumento de 8,1% no contingente de desempregados há mais de dois anos.

  • Há ainda 1,857 milhões de trabalhadores em busca de emprego há mais de um ano.
  • Outro dado: 6,079 milhões de pessoas estão em busca de emprego há pelo menos um mês e há menos de um mês estão 1,869 milhão de pessoas.
  • 4,833 milhões de pessoas em situação de desalento

Desalentados são aqueles que estão fora do mercado de trabalho porquê não conseguem uma vaga; não possuem experiência, ou por conta da idade, sendo considerados jovens ou velhos demais; ou ainda por não ter encontrado trabalho na localidade.

O Brasil alcançou o recorde de 4,833 milhões de pessoas em situação de desalento no segundo trimestre de 2018, o maior registro desde 2012 pelo IBGE.

São quase 200 mil desalentados a mais em apenas um trimestre e a taxa de desalento ficou em 4,4% da força de trabalho ampliada no segundo trimestre de 2018, também a mais elevada da série histórica desde 2012.

As taxas variam : Alagoas (16,6%) e Maranhão (16,2%) registraram as maiores taxas de desalento. O Rio de Janeiro (1,2%) e Santa Catarina (0,7%) tiveram os menores resultados.

Desemprego e a população negra

A pesquisa comprova também mais um dado que a população sente na pele: a taxa de desemprego é muito maior para a população negra: neste segundo trimestre, a taxa de desemprego ficou em 9,9% entre os brancos, resultado bem inferior à taxa de 15,0% registrada entre pretos e de 14,4% entre os pardos.

Verifica-se ainda que no início da série histórica dessa pesquisa, no primeiro trimestre de 2012, a taxa de desemprego média estava estimada em 7,9%, a dos pretos correspondia a 9,7%; a dos pardos, 9,1%; e a dos brancos, 6,6%.

O contingente dos desocupados no Brasil no primeiro trimestre de 2012 era de 7,6 milhões de pessoas: os pardos representavam 48,9% dessa população.

Agora o total de desempregados subiu para 12,9 milhões de pessoas: sendo que nesse índice a participação dos pardos cresceu para 52,3%; a dos brancos diminuiu para 35,0%; e a dos pretos aumentou para 11,8%.

NÚMEROS DA PNAD CONTÍNUA REFERENTE O SEGUNDO TRIMESTRE DE 2018

  • 27,636 milhões de pessoas estavam sem emprego no Brasil.
  • A taxa composta de subutilização teve ligeiro recuo, saindo de 24,7% nos primeiros três meses para 24,6% no segundo trimestre.
  • 4,833 milhões de brasileiros (4,4%) desistiram de procurar trabalho.
  • 3,1 milhões de desempregados buscam trabalho há mais de dois anos.
  • 15% da população negra não tem trabalho; desemprego entre os pardos chega a 14,4%; branco desocupados somam 9,9%.
  • Taxa de desemprego no Estado de SP ficou em 13,6% no segundo trimestre.



Tópicos relacionados

Negr@s   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar