Política

ELEIÇÕES 2018

PT se junta com aliado de Bolsonaro no Amazonas e deixa PCdoB de fora

sexta-feira 17 de agosto| Edição do dia

Imagem: politicaemfoco/ Reprodução

Em mais uma de suas alianças com a direita, dessa vez com o PSB, o PT do Amazonas deixou de fora a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB), candidata à reeleição, a coligação no estado conta com apenas um candidato ao Senado, o ex-deputado Chico Preto do PMN e aliado de Bolsonaro.

A coligação firmada no Amazonas entre PT e PSB, firmada no último dia 5 deixou de fora PCdoB e desagradou a presidente nacional do partido, Gleisi Hoffmann, que tem relações estreitas no senado com Grazziotin, porém suas tentativas de negociar com o PSB não estão funcionando e o caso pode ser levado para a justiça.

Mais uma vez, o PT se enrosca em suas próprias armadilhas, ao firmar alianças a torto e a direito com partidos de direita, abre caminho para que os mesmos passem por cima de seus interesses, desde o exemplo pequeno de não poder incluir um outro partido aliada na chapa, o PCdoB, até chegar a levar um golpe institucional como o de 2016, que apesar de ter o PT como figura principal, afetou mais diretamente o conjunto da classe trabalhadora, deslegitimando seu voto e abrindo ainda mais espaços para os ataques que Dilma já aplicava na época.

No momento também segue em curso um outro exemplo do quanto o PT está disposto a se enfiar em armadilhas para tentar garantir seus cargos eleitorais. O candidato à presidência do PT, Lula, está preso arbitrariamente, sendo impedido de participar de debates e correndo o risco inclusive de não poder assumir caso ganhe as eleições em outubro, trata-se de um aprofundamento do golpe de 2016, as eleições não trarão o fim do governo golpista mas sim trará um novo presidente escolhido a dedo pelo judiciário para seguir descontando em nossas costas o preço da crise econômica que o país enfrenta.

Ainda assim, o PT além de não mobilizar sua base a partir dos sindicatos que dirige pelo país, segue fazendo alianças cada vez mais absurdas, chegando ao ponto de fazer uma chapa com aliado de Bolsonaro para seguir garantindo seus cargos e deixando de lado o PCdoB, principal linha auxiliar do partido que inclusive está na chapa “triplex” com Manuela D’Ávila como segunda vice , no caso de Lula não poder assumir.

O PT ainda diz que o problema do Amazonas é que PSB e PCdoB têm “animosidade” entre si, atrapalhando dessa forma que seu acordão siga intacto, e que caso não consiga incluir Vanessa na chapa “vai apoiar a candidata”.

O caráter arbitrário dessas eleições já está explícito de saída, mas é chocante ver como o partido que protagonizou o golpe e que segue sendo atingido pelo judiciário prefira seguir com sua política de acordos e troca de benefícios com a direita ao invés de mobilizar os milhares de eleitores de Lula para denunciar e lutar contra esse processo eleitoral fraudado. É justamente por isso que apesar de apoiarmos a liberdade do povo em votar em quem queira, não defendemos o PT que trai seguidas vezes a classe trabalhadora e assiste nossos direitos sendo retirados sem se mover para impedir porque teme mais a mobilização nas ruas do que as emboscadas armadas pela direita.




Tópicos relacionados

Bolsonaro   /    PT   /    Política

Comentários

Comentar